Blog - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Blog

jeep.png

 

No Dia do Jipeiro, comemorado no próximo dia 02 de abril, os jipeiros de todo o Brasil reúnem-se em evento comemorativo com a temática “Ajudando quem precisa”, com entrada solidária em prol do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) – 1kg de alimento. 

O encontro será no Recife Outlet. Diversas atrações para você e para a família: pista off-road exclusiva, sorteio de brindes, praça de alimentação com área kids, infláveis e oficina de slimes, parcão gratuito para o seu dog e outras atrações. Ah! O churrasco e toldos estão liberados.

Vá com seu 4x4, aproveite e leve aquelas peças que só ocupam espaço na sua garagem, tais como pneus ou acessórios para vender ou trocar.

Serviço:

Dia do Jipeiro – Ajudando a quem precisa.

Data: 02/04/2022

Horário: das 9h às 17h

Local: Recife outlet - BR-232, Km 20, Moreno/PE

Ingresso: 1 Kg de alimento não perecível (Doe cestas básicas)

Informações: Marcelo Moura (MM) 81 99926.0000 ou Willian 99917.0930

 

 

 

 

jeep.jpeg

 

foto1.jpeg

Em uma ação solidária em prol do Hospital de Câncer de Pernambuco, a Companhia Pernambucana de Gás – Copergás, doou mais de 1000 itens de materiais servíveis, entre eletrônicos, mobiliários e fardamentos. Como hospital privado, sem fins lucrativos, tal doação auxilia na sustentabilidade da instituição. Os itens doados serão utilizados para a adequação dos espaços de trabalho.

Com essa doação, a Copergás reforça o seu compromisso com a população pernambucana. "O Hospital de Câncer é uma instituição muito respeitada em Pernambuco. E quando a Copergás participa das ações desse hospital está mostrando a sua preocupação social. É muito importante a gente ter parcerias com instituições como o HCP, que presta um grande serviço à população pernambucana e é respeitada por todos que atuam socialmente em nosso Estado”, destaca André Campos, presidente da Copergás.

Os itens doados são seminovos com exceção das calças antichamas, que nunca tinham sido usadas.  Os materiais eram de vários setores da Copergás, substituídos devido a procedimentos de padronização da empresa. “Com essa importante doação conseguimos atender demandas dos departamentos de tecnologia da informação, hotelaria, farmácia e higienização. É uma grande ajuda, já que podemos aplicar os recursos que seriam utilizados nessas demandas para atender outras áreas”, explica Juliane Carvalho, gerente de captação de recursos do HCP. 

foto3.jpeg

foto4.jpeg

Seja um doador você também

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que oferece tratamento oncológico completo de forma 100% gratuita ao paciente com câncer, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Apesar de proporcionar o tratamento completo de forma gratuita, através do repasse financeiro do Governo Federal e Estadual, quantia é insuficiente para o custeio da instituição, por isso é importante o apoio da sociedade, pessoas físicas e jurídicas que possam fazer doações financeiras ou insumos. 

Por esse motivo, precisa do apoio da sociedade, pessoas físicas e jurídicas que colaborem com dinheiro ou insumos para auxiliar na continuidade das ações e na expansão da prestação de serviço com a qualidade que o paciente de câncer precisa. Atualmente o HCP é responsável por aproximadamente 50% de todos os pacientes oncológicos de Pernambuco.

Faça sua doação:

Doe pelo PIX: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ligue: (81) 3217.8290

Conheça outras maneiras de doar: https://hcp.org.br/doacoes

 

residente2.jpeg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é um dos principais campos de residência médica, uni profissional e multiprofissional de Pernambuco. E a qualidade do ensino e pesquisa vem se desenvolvendo a cada ano. A prova disso são os trabalhos reconhecidos para além do HCP, como o recém-apresentado estudo sobre a “Percepção e Expectativas de Pacientes com Câncer acerca das Diretivas Antecipadas de Vontade”, publicado pela Revista Brasileira de Cancerologia, de autoria de Stefani Catarina Gois Santana, que acaba de concluir a residência em enfermagem na instituição.

A Revista Brasileira de Cancerologia (RBC) é uma das mais importantes do Brasil quando o assunto é oncologia. O periódico é publicado trimestralmente pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) e reúne diversas pesquisas científicas em saúde. Para Stefani, ter um trabalho em destaque na revista significa um importante reconhecimento:

“Demonstra a importância de preservar e respeitar a autonomia e dignidade do paciente com câncer, tópicos que devem ser abordados na prática clínica e inseridos na realidade de um hospital de referência. Estamos felizes com a publicação como uma forma de reconhecimento do trabalho”, disse.

Objetivo da pesquisa

A pesquisa, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), avaliou 346 dos pacientes em tratamento de câncer no HCP, e teve como orientador o Dr. Davi Câmara, médico do departamento de Cuidados Paliativos. O objetivo do estudo foi investigar a percepção e as expectativas de pacientes com câncer sobre o conceito e aplicabilidade das Diretivas Antecipadas de Vontade (DAV), que é um documento no qual diz quais os tratamentos o paciente deseja ou não receber, caso ele fique impossibilitado de se expressar por motivos de agravamento de saúde.

De acordo com o médico e orientador Dr. Davi Câmara, o DAV “é fundamental na construção de uma linha de cuidado ao respeitar a dignidade e desejos dos pacientes”.

“Foi um grato reconhecimento termos nosso trabalho publicado na Revista Brasileira de Cancerologia vinculada ao INCA. Esperamos que o tema seja cada vez mais debatido, tanto pela sociedade em geral e, especialmente, pelos profissionais de saúde, para que seu uso seja mais comum”. O especialista explica que a pesquisa contou com um método interessante ao utilizar um jogo para estimular a reflexão sobre o fim de vida nos pacientes assistidos pelo HCP. “Os resultados foram bastante reveladores e deverá contribuir para outras pesquisas sobre o tema”, completou.

Na conclusão do trabalho de Stefani, as diretivas antecipadas são positivas para o paciente.

“Na percepção desses pacientes, embora pouco conhecidas, as diretivas antecipadas se mostraram um instrumento capaz de preservar sua dignidade e autonomia. Os pacientes demonstraram interesse tanto por sua elaboração quanto por sua aplicabilidade. No entanto, esperaram receber mais informações e orientações dos profissionais em relação a essa temática”, diz o estudo.

Relevância institucional

Este ano, a turma do programa de residência em enfermagem finalizou mais um ciclo no HCP com a apresentação dos trabalhos de conclusão da residência (TCR). Segundo o coordenador do Programa de Residência de Enfermagem em Cancerologia, Roberto Bezerra, é uma alegria para toda a equipe de ensino e pesquisa, bem como para os concluintes da residência, ver um TCR ser submetido e aceito numa revista de renome como a RBC.

“Esse artigo vem para coroar um trabalho que vem sendo feito no HCP há alguns anos, que é o de sediar importantes pesquisas feitas pelos nossos residentes. É mais uma conquista que traz respaldo institucional em ensino e pesquisa, principalmente numa publicação no INCA, instituição de referência nacional em câncer”, celebrou.

Acesse o estudo na RBC neste link: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista

 

visita.jpeg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu uma doação em dinheiro referente à campanha do Dia Mundial do Combate ao Câncer, celebrado em fevereiro, e promovida pela Granplast, empresa que trabalha com produtos em plástico para construção e reforma. Na última semana, as duas coordenadoras de vendas e a supervisora de vendas vieram ao HCP para fazer a entrega do cheque simbólico e conhecer um pouco da instituição. 

Juliane Carvalho, gerente de captação de recursos, foi quem recebeu as representantes da empresa. Ela mostrou a alguns setores do hospital, como a triagem e os ambulatórios. "Ficamos muito felizes em ver empresas engajadas e preocupadas em nos ajudar a salvar vidas", celebrou. A quantia doada pela Granplast foi de mais de R$ 13 mil, valor obtido de parte do lucro das vendas da marca.

"Essa campanha tem o intuito de reverter parte do arrecadado nas vendas do nosso Assento Almofadado para o Hospital do Câncer de Pernambuco", anunciou a empresa no início da campanha. 

Ações como essa são muito importantes para o HCP, instituição que necessita constantemente da contribuição da sociedade para continuar oferecendo um tratamento digno e de qualidade para milhares de pacientes oncológicos no estado. 

visita2.jpeg

SAUDEBUCAL.jpg

A boca é fundamental no desempenho de funções importantes do corpo, como: a fala, a mastigação, deglutição e respiração. Além disso, manter um sorriso bem cuidado previne infecções e ajuda na estética dos dentes. No caso de pacientes em tratamento de câncer, principalmente de cânceres que afetam a cavidade oral, a atenção à saúde da boca é primordial durante o acompanhamento multidisciplinar. No Hospital de Câncer de Pernambuco, a equipe de odontologia realiza um trabalho diário e completo aos mais diversos pacientes oncológicos. Neste Dia Mundial da Saúde Bucal, o HCP reforça a importância da odontologia em casos de câncer.

Dois dos motivos pelos quais a odontologia está inserida no acompanhamento multidisciplinar ao paciente é que a quimioterapia e radioterapia tendem a agredir a cavidade oral, podendo até evoluir para um quadro de mucosite, uma inflamação na boca capaz de formar feridas e, consequentemente, provocar dificuldades na alimentação. O outro motivo é que há tumores específicos que atingem a região, como o de boca e orofaringe. "A equipe de odontologia oncológica está inserida no contexto do paciente com câncer de boca em várias situações. Primeiro no diagnóstico, feito por um estematologista, que encaminha o paciente para um cirurgião de cabeça e pescoço. Caso esse paciente também precise realizar radioterapia e quimioterapia, ele tem que passar por nossa equipe de odontologia pra que a gente realize o que chamamos de adequação de meio bucal", explica Dr. Igor Henrique estomatologista do Serviço de Odontologia e Próteses Reabilitadoras do HCP.

O especialista também frisa que as intervenções odontológicas, como restaurações e extrações, precisam ser feitas antes do tratamento oncológico.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostram que o câncer bucal é mais comum em homens com idade acima dos 40 anos. As regiões Sudeste e Sul apresentam as maiores taxas de incidência e de mortalidade da doença.

Cuidados antes do câncer de boca

Para além da higiene bucal, protege-se de agentes infecciosos como o HPV (Papiloma Vírus Humano) é importante, pois o vírus pode influenciar no surgimento do câncer de boca e orofaringe. Contra o vírus, a principal recomendação é o sexo oral protegido. Além disso, o tabagismo e o excesso de álcool são grandes fatores de risco para o câncer de boca. 

Reabilitação 

O departamento de odontologia oncológica também é responsável pela reabilitação na região bucal do paciente que sofreu complicações orais pelo tratamento. "Nossa principal reabilitação é a confecção de próteses dentais para pacientes ", acrescenta Dr. Igor Henrique. 

 

doacao-ir-2022-noticia.jpg

Com projetos aprovados no Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa do Recife (FMDPI), programa que possibilita que pessoas físicas e jurídicas contribuam com entidades privadas sem fins lucrativos, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) está apto a receber doações via declaração do Imposto de Renda (IR). Para isso, os brasileiros declarantes no modelo completo (deduções legais) do IR Pessoa Física, podem destinar até 3% do imposto para contribuir com o tratamento de idosos com câncer no HCP. 

Segundo estimativa da Receita Federal, 34,1 milhões de pessoas devem prestar as contas. Para doar, basta destinar a quantia ao preencher a declaração. É rápido, fácil e não paga nada mais por isso. No sistema, basta escolher a declaração completa, ou seja, por “deduções legais”, escolher a ficha “doações direto na declaração”, o tipo de Fundo (idoso) e o município (Recife). O próprio sistema indica o limite disponível para destinação, basta preencher o campo com o valor que deseja doar e imprimir o Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF). O pagamento do DARF deve ser feito até a data de vencimento da primeira quota ou quota única do imposto. Este valor será deduzido do valor do imposto a ser pago ou acrescido no valor a ser restituído. Por fim, é necessário enviar o comprovante de pagamento para o Hospital de Câncer de Pernambuco, só assim o HCP poderá solicitar o repasse desse valor para a instituição. 

No HCP, o paciente idoso recebe, de forma gratuita, um acompanhamento integral por uma equipe médica e multiprofissional que zela não apenas pelo tratamento do câncer, mas das consequências físicas, psicológicas e emocionais trazidas pela doença. Destinar o IRPF para o tratamento desses pacientes é uma forma de engajamento e compromisso social com uma instituição filantrópica que realiza um importante trabalho para a sociedade. “É uma atitude simples, rápida e solidária. Com as destinações conseguimos captar recursos para promover uma assistência de qualidade e excelência aos idosos com câncer em Pernambuco”, explica a gerente de Captação de Recursos do HCP, Juliane Carvalho.

Sobre o HCP: O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é uma instituição privada e sem fins lucrativos, que se dedica ao diagnóstico e tratamento de pacientes oncológicos por meio do Sistema único de Saúde – SUS. Por ser uma instituição filantrópica, o HCP conta com doações contínuas de pessoas físicas e jurídicas para manter a qualidade no atendimento aos pacientes. Esses recursos são utilizados no custeio, na modernização do parque tecnológico e nas instalações físicas do hospital. Além disso, são direcionados para complementar o custo do tratamento dos pacientes. Saiba mais no site: www.hcp.org.br.

Números do HCP em 2021:

17.468 consultas ao mês;

4.860 quimioterapias ao mês;

342 procedimentos cirúrgicos ao mês;

211 radioterapias ao mês.

Fonte DATASUS 2021*

EMAILMKT.png

 

ortoinfo.jpeg

diadamulher.jpg

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher, o almoço desta terça-feira (8) no Hospital de Câncer de Pernambuco foi especial. Além do cardápio preparado para o dia de hoje, o setor do Endomarketing organizou atrações para descontrair os colaboradores e, principalmente, as colaboradoras. Teve apresentação de dança de salão com Marília Brilhante e o irmão, Waldomiro Brilhante, que é professor de dança de salão. 

dançaa.jpg

No decorrer da dança, outras colaboradoras dançaram no refeitório do HCP, inclusive Cláudia Barbosa, superintendente administrativa. Outra coisa que chamou a atenção das mulheres, foi o sorteio de kit de maquiagem. Mais de cem números foram sorteados. Para Edleuza Silva, supervisora de higienização e limpeza, a ação do Dia Internacional da Mulheres fez da hora de almoço um momento mais leve e divertido. "É tão importante esse reconhecimento, principalmente porque a gente lida constantemente com o sofrimento do outro. Então, ter esse momento de descontração faz toda a diferença", disse a colaboradora. 

Dra. Cláudia, que esteve o tempo todo na homenagem para as mulheres, acrescentou que a ação contribui para o clima organizacional no HCP.  

"Esse clima organizacional faz a diferença na vida profissional dos nossos colaboradores. O endomarketing tem realizado ações para engajar as pessoas, principalmente depois de um período tão difícil como foi nos dois primeiros anos de pandemia. Isso é muito importante", declarou. 

oi.jpg

sorteio.jpg

kakaa.jpg

marcela.jpg

Tornar-se médico demanda muito estudo, dedicação e tempo. Aliás, o tempo é precioso para o profissional da medicina que precisa “se dividir” para seguir com a rotina de trabalho e vida pessoal. Quando chega ao fim da graduação, o médico passa para uma nova fase de sua formação: a residência.

Essa fase começou para Marcela Falcão, de 34 anos, em 2019, ano de grandes mudanças na vida da então residente em anestesiologia no Hospital de Câncer de Pernambuco. Fazia quatro meses que Marcela havia tido um filho quando iniciou a residência na instituição. De acordo com ela, o apoio que conseguiu da equipe da residência médica para que ela conseguisse conciliar a especialização com a maternidade, foi fundamental. 

“As pessoas aqui no HCP sempre foram muito compreensíveis e solícitas comigo, principalmente nos primeiros meses de amamentação. Eu imagino que talvez em outros lugares eu não teria essa compreensão com a minha situação enquanto mãe de um bebê de quatro meses”, conta. Marcela acrescenta que esse cuidado contribuiu para que ela pudesse amamentar a criança por mais tempo. “Entre um plantão e a residência, as pessoas entendiam quando eu precisava ir para casa amamentar meu filho, ou quando ele necessitava de mim por algum outro motivo”. 

A residência para Marcela foi evoluindo, assim como o crescimento de seu filho, que hoje tem três anos e já frequenta a escola. Na equipe de anestesiologia do HCP, Marcela adquiriu experiências únicas na assistência a pacientes muito debilitados. “Lidar a gravidade do câncer foi e tem sido um aprendizado enorme como profissional e ser humano. Entender como a quimioterapia afeta as veias de um paciente e como podemos ser mais criteriosos com relação a isso, foi muito importante”. 

No final de 2021, Marcela concluiu a residência apresentando o trabalho baseado em um estudo que a residente fez sobre os equipamentos laringoscópio e videolaringoscópio, mais especificamente, uma ‘Comparação da Escala Cormack e Lehane com Uso do Laringoscópio Macinttosh versus Videolaringoscópio Med3D.’ Na última semana, ela e outros concluintes da residência multidisciplinar e uni profissional estiveram presentes na cerimônia de encerramento dos programas da residência no HCP. Para ela, a residência do HCP é uma das melhores para a área que ela escolheu para trabalhar como médica. 

“No HCP, temos a oportunidade de acompanhar mais de perto o paciente, mesmo nas situações mais delicadas. Sou muito grata pela oportunidade e por toda vivência que ganhei aqui", diz. 

 

essaa.jpg

Para celebrar a conclusão de mais uma etapa dos programas da residência médica, multiprofissional e uni profissional em oncologia, o Hospital de câncer de Pernambuco (HCP) realizou tradicional cerimônia de encerramento nesta terça-feira (01). O momento marcou união dos residentes de diversas áreas que, por três anos vivenciaram experiências na assistência ao paciente em um período longo e difícil provocado pela pandemia.  

A cerimônia reforçou, mais uma vez, que o HCP é referência não apenas no tratamento de câncer, mas também na formação de novos profissionais. Participaram do evento superintendentes, coordenadores e funcionários da instituição. Dr. João Alberto, superintendente técnico do HCP, destacou a importância dos programas da residência: “Um dia memorável, pois encerramos mais um ciclo dos novos residentes que formamos aqui no hospital. A cada ano lançamos no mercado profissionais capacitados para exercer a profissão na área da oncologia, e neste ano vamos iniciar uma nova etapa dos programas da residência”.

residencia.jpg

Na ocasião, não faltaram emoção e sentimento de gratidão. Aliás, ‘gratidão’ foi a palavra que simbolizou a celebração. Entre formandos e coordenadores, todos agradeceram pelo aprendizado adquirido, como Marcos Pacheco, formado em odontologia e especializado em odontologia oncológica pelo HCP. Vindo de Arcoverde, no interior de Pernambuco, o recém concluinte da residência disse que desde a graduação sonhava em trabalhar na área da oncologia. "Quando cheguei no HCP, fui mais que abraçado pela equipe de odontologia. Sou muito grato pelos vínculos e laços criados ao longo da jornada. A residência me proporcionou experiências que vou levar para toda a minha vida". 

residente.jpg

Nas palavras de Dr. Guilherme Costa, superintendente de Ensino e Pesquisa, a realização do grupo agora especializado em oncologia, é motivo de muito orgulho e alegria para o HCP. 

“Os momentos de dificuldades trazidos pela pandemia nos fez aprender a lidar com tudo isso, de forma que continuamos a cuidar e tratar pessoas com câncer, e esse é o maior legado dos nossos profissionais”, disse. 

depoisessa.jpg

Programas de Residência 

O HCP, instituição de referência há mais de 75 anos no estado de Pernambuco, atua na especialização e capacitação de profissionais em oncologia, dentro do campo de Ensino e Pesquisa. Nas residências médicas, multiprofissionais e uniprofissionais, os residentes têm acesso ao serviço do hospital com uma assistência de qualidade, que trabalha com foco, cuidado e integração para a experiência do profissional e, principalmente, para o bem-estar do paciente. 

também.jpg

esse.jpg