Blog - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Blog

 

contadobem celpe.jpeg

 

www.hcp.org.br/contadobem

Iniciativa tem como finalidade contribuir com o aumento no número de doações para o HCP, que atualmente é responsável pelo atendimento de cerca de 50% dos pacientes oncológicos de Pernambuco

Uma parceria em favor da vida. Assim é considerado o convênio entre a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), que será lançado nesta terça-feira (09). A partir desta data, a unidade de saúde fará parte do Conta do Bem, projeto idealizado pela concessionária com a finalidade de congregar todas as ações solidárias promovidas pela Celpe por meio da conta de energia, a fim de contribuir com o trabalho desenvolvido por organizações sociais.

Através da Conta do Bem, os consumidores interessados em efetuar doações para o HCP poderão fazê-lo por meio das faturas de energia. Para participar do projeto e realizar sua doação, o cliente deve acessar o site do Hospital de Câncer de Pernambuco (hcp.org.br/contadobem) e preencher o formulário de adesão disponibilizado pela instituição. Os valores são escolhidos pelo doador e adicionados, automaticamente, às contas de energia dos meses seguintes.

"Esta é uma iniciativa muito importante para a Celpe, pois, dialoga com alguns de nossos principais pilares, que é contribuir com instituições que promovam saúde e qualidade de vida para as pessoas. Acreditamos uma participação maior a cada mês no número de doações para o Hospital de Câncer, visto que a ação permite que os clientes doem de forma simples e na comodidade de sua casa", afirma o presidente da Celpe, Saulo Cabral.

Com 75 anos de serviços prestados à população pernambucana, o Hospital de Câncer de Pernambuco é uma instituição privada, sem fins lucrativos que precisa da colaboração da sociedade para completar o tratamento oferecido. "Parcerias como essa com a Celpe são fundamentais para continuarmos oferecendo tratamento integral ao paciente de câncer. Nossa expectativa é que a população abrace essa causa e com as doações possamos cobrir os nossos custos diários e, principalmente, trazer inovações que possam auxiliar no tratamento dos nossos pacientes", afirma Hélio Fonsêca, superintendente geral do Hospital de Câncer de Pernambuco.

O Projeto Conta do Bem também​​​ converge para a estratégia empresarial da Neoenergia - grupo que controla a Celpe - em prol do cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS), números 3 (saúde e bem-estar) e 17 (parcerias e meios de implantação).

 

Sobre a Celpe: A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), empresa da Neoenergia, distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,7 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).

Sobre o HCP: O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é uma instituição privada e sem fins lucrativos, que se dedica ao diagnóstico e tratamento de pacientes oncológicos por meio do Sistema único de Saúde – SUS. Por ser uma instituição filantrópica, o HCP conta com doações contínuas de pessoas físicas e jurídicas para manter a qualidade no atendimento aos pacientes. Esses recursos são utilizados no custeio, na modernização do parque tecnológico e nas instalações físicas do hospital. Além disso, são direcionados para complementar o custo do tratamento dos pacientes.

DESTAQUE (1).jpg

Os médicos interessados em participar do Fellowship em Neurocirurgia Oncológica do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) já podem se inscrever para o processo seletivo de 2021. Para concorrer à única vaga disponível, os neurocirurgiões devem enviar seus currículos acompanhados de uma carta de recomendação para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. até o dia 14 de fevereiro. O início das atividades está previsto para 1º de abril de 2021. Para outras informações, o candidato pode entrar em contato através do telefone (81) 3217.8197.

No programa, o profissional selecionado terá acesso, durante 12 meses, ao acompanhamento de atividades práticas e teóricas dentro da especialidade, orientado por um corpo clínico de referência. Entre as atividades, estão previstas cirurgias endoscópicas, cirurgias de alta complexidade, atividades científicas e um observeship não remunerado opcional no Swedish Neuroscience Institute em Seattle (Whashington, EUA). 

 

Confira as etapas do processo seletivo: 

FELLOWSHIP EM NEUROCIRURGIA ONCOLÓGICA

- Envio de currículo Lattes + carta de recomendação para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. - 01/02/21 a 14/02/21

- Avaliação curricular e entrevista – 04/03/2021

- Divulgação do resultado – até 15/03/2021

- Início das atividades – 01/04/2021

- Duração: 1 ano

 

cartazneuro.jpg

 

O novo equipamento irá aumentar em 20% a capacidade de atendimento do serviço de Radioterapia da instituição

 IMG_8571.JPG

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) foi uma das instituições beneficiadas com o Plano de Expansão da Radioterapia do Ministério da Saúde (MS), cujo objetivo é expandir o acesso ao tratamento de Radioterapia no Sistema Único de Saúde (SUS). Através do projeto, o HCP foi contemplado com a doação de um acelerador linear – equipamento moderno que faz o procedimento – e com a construção de um “Bunker”, local específico destinado a comportar o aparelho.

Para realizar a visita técnica de análise e celebrar o Termo de Entrega da Expansão da Radioterapia, representantes do MS, do HCP e da Varian Medical Systems (empresa fabricante da máquina) estiveram reunidos na última quinta-feira (21), no HCP, para assinatura dos contratos. “O HCP é referência em oncologia, e atente mais da metade dos pacientes com câncer do estado”, disse aos presentes o Superintendente Financeiro, dr. André Amarante. 

IMG_8564.JPGEstiveram presentes representantes do HCP, do Ministério da Saúde e da Varian Medical Systems

Na instituição, o projeto de expansão teve início em 2014 e foi finalizado em 16 de dezembro de 2020, data memorável, que simboliza o dia em que o equipamento foi utilizado, pela primeira vez, em um paciente. Agora, com a renovação do parque tecnológico da Radioterapia, o hospital dispõe de um dos mais modernos equipamentos para o procedimento, o que significa um marco importante na história do tratamento oncológico da instituição. Com o primeiro Acelerador Linear Digital e com Sistemas de planejamento tridimensional (forma avançada de radioterapia) próprios, a instituição aumentará a capacidade de atendimento da Radioterapia, além de não mais precisar alugar serviço externo. “É um marco”, explica a coordenadora da Radioterapia do HCP, dra. Ana Luiza Fassizoli, “Estando esse equipamento dentro da instituição, passaremos a tratar cerca de 180 pacientes por dia, 20% a mais do que conseguíamos tratar anteriormente, o que supre quase a totalidade de nossa demanda interna”, pontua.

 

IMG_8578.JPG

O câncer é segunda causa de morte por doença no mundo e no Brasil e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS, 2012), será a primeira, a nível mundial, a partir de 2030. Cerca de 70% desses pacientes precisarão de Radioterapia em algum momento do seu tratamento – o procedimento utiliza radiações ionizantes para destruir um tumor ou impedir que suas células aumentem (definição do INCA). Além da nova máquina de radioterapia, o HCP tem projetos para aquisição de novos equipamentos e novas tecnologias para suprir a demanda que está por vir, para atender o aumento da incidência esperado para ao longo do tempo. 

Sobre o HCP: O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) tem 75 anos e é uma instituição privada e sem fins lucrativos, que se dedica ao diagnóstico e tratamento de pacientes oncológicos por meio do Sistema único de Saúde – SUS. Por ser uma instituição filantrópica, o HCP conta com doações contínuas de pessoas físicas e jurídicas para manter a qualidade no atendimento aos pacientes. Esses recursos são utilizados no custeio, na modernização do parque tecnológico e nas instalações físicas do hospital. Além disso, são direcionados para complementar o custo do tratamento dos pacientes.

 

IMG_8585.JPG

IMG_8581.JPG

IMG_8559.JPG

IMG_8590.JPG

 

 

 

 

covid01.jpeg

Seguindo as normativas estabelecidas pelo Ministério da Saúde e os governos estaduais e municipais para a 1ª fase de vacinação contra a Covid-19, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) deu início, no último sábado (23), à vacinação dos trabalhadores envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos do Novo Coronavírus.

Nesta 1ª fase foram vacinados os funcionários atuantes na Urgência Oncológica, Enfermaria Anjo Clínico e UTI Nossa Senhora Aparecida, totalizando 181 profissionais entre médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, maqueiros e auxiliares de serviços gerais atuantes na linha de frente. 

Coordenador da Urgência e da Enfermaria Anjo Clínico, dr. João Paulo estava presente no dia da vacinação. “Para mim, o marco desse ano é o início da vacinação dos profissionais de saúde. A chegada da vacina nos dá um sentimento de renovação e de esperança de dias melhores, que em breve poderemos sorrir sem máscara e abraçar sem medo”, destaca o profissional.

A vacinação ocorreu durante três dias, encerrando na última segunda-feira (25), seguindo os dias de plantão de cada funcionário, conforme orientação dos coordenadores das áreas.

covid02.jpeg

covid03.jpeg

IMG_8598.JPG

A última sexta-feira (22) foi um dia de alegria para o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP). Isso porque a instituição recebeu a primeira doação do Troco Solidário do Novo Atarejo, que, em novembro do ano passado, abraçou a causa e iniciou a arrecadação dos trocos dos clientes em prol do tratamento de pacientes oncológicos. O fruto dessa parceria rendeu o valor inicial de R$ 64.593,11, que serão utilizados em melhorias na assistência prestada. A entrega foi realizada na unidade recém inaugurada do Atacarejo, na Abdias de Carvalho. 

Na ocasião, a gerente de Captação de Recursos do HCP, Juliane Carvalho, foi pessoalmente receber o cheque simbólico e agradecer aos funcionários e clientes do Novo Atacarejo pelo gesto solidário: “Nossa instituição atende mais da metade dos pacientes com câncer do estado. O tratamento de câncer é caro, e muita gente não sabe, mas somos uma instituição privada e filantrópica. A doação de vocês nos ajuda a proporcionar um tratamento completo e de qualidade aos nossos pacientes”, pontuou. 

“Nós estamos muito felizes em fazer a primeira entrega do Troco Solidário para o HCP. Achamos a causa super importante. Nossa missão é ajudar! Esperamos continuar contribuindo  dessa forma, e pedimos aos nossos clientes que doem para o Troco Solidário. Pequenas quantias salvam muita gente!”, disse a coordenadora de marketing do Novo Atacarejo, Jéssica Almeida.

 

IMG_8541.JPG

Há um ano, o proprietário do Armazém Coral Achaqui, Domingos da Silva Moreira, parceiro do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) há mais de oito anos, esteve na instituição para entregar a sua doação anual. Hoje (21), exatamente um ano depois, veio ao HCP reafirmar esse compromisso.

Superior ao ano passado, para 2021, o Hospital de Câncer recebeu R$70.000,00 em materiais de construção, a ser utilizado durante todo o ano para cobrir as necessidades diárias de manutenção da instituição, como tintas, materiais hidráulicos e materiais elétricos. E mais uma contribuição em dinheiro no valor de R$ 78.000,00, que serão pagos em parcelas mensais. Doações como essas ajudam o HCP na manutenção da instituição, atualmente responsável pelo tratamento de mais de 50% dos pacientes com câncer de Pernambuco. “Nosso objetivo é contribuir no dia a dia do hospital, nas necessidades diárias. Sabemos a importância dessa instituição e os grandes custos com manutenção. Nessa parceria, podemos contribuir um pouco”, destaca Domingos Moreira.  

 

IMG_8338.JPG

No bairro de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, colaboradores do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) e da rede de supermercados Arco-Mix reuniram-se para a entrega simbólica de mais um cheque da campanha Troco Solidário. A quantia de R$58.555,74 é referente ao arrecadado pelas 19 lojas da rede de supermercados e do atacarejo ArcoVita no último mês de 2020. A quantia doada será utilizada para complementar a compra de medicamentos na instituição.

“Não sabemos o dia de amanhã. Pedir doações para um hospital tão importante significa nos prevenir para o futuro”, Explica Camila Edilene, operadora de caixa da loja ArcoMix Cavaleiro que mais arrecadou no mês.  A campanha Troco Solidário teve início em novembro de 2018 e já superou a marca de 1 milhão em doações ao HCP. Na ação, operadoras de caixa estimulam os clientes a doarem as moedas do troco ou, se preferirem, outro valor para ajudar no tratamento de câncer realizado na instituição. No mês de dezembro do ano passo, uma novidade – agora os doadores também podem exercer a solidariedade através do cartão de crédito, deixando sua doação no ato da compra. 

Maria Geisiane, coordenado de frente de loja da Arco-Mix sabe muito bem da necessidade de uma instituição como o HCP no tratamento do câncer. “Minha mãe faz tratamento de câncer de mama na instituição. Já fez a cirurgia e recebeu todo o medicamento de forma rápida e gratuita. Além disso, o hospital oferecia as refeições para ela e para o acompanhante na situação de internamento”, explica. “Com os meus relatos, somado ao sentimento de solidariedade já internalizado na Arco-Mix, todos trabalhamos e pedimos doação com muito carinho e empenho”, finaliza.

A entrega simbólica ainda contou com a presença da Rede Feminina, grupo voluntário do HCP, da gerente de captação de recursos e doações da instituição, Juliane Carvalho e, ainda, colaboradores da rede Arco-Mix, como o gerente adjunto da loja Cavaleiro, Cleyton Chaves; a da operadora de caixa, Gorete Melo; e do gerente de operações, Flávio Jose.  

aconselhamentogenetico.jpg

O aconselhamento genético identifica síndromes hereditárias de câncer, o que possibilita uma conduta médica preventiva 

 

Enquanto os fatores ambientais e comportamentais causadores do câncer podem ser evitados com hábitos saudáveis, há um componente não evitável que aumenta a possibilidade do desenvolvimento da doença em indivíduos de uma mesma família: a hereditariedade – ou seja, a grande chance de uma mutação nos genes causar um crescimento desordenado nas células, levando ao aparecimento do tumor. Neste cenário, surge a oncogenética, área da oncologia que, por meio do aconselhamento genético, identifica e informa ao paciente o risco da predisposição para o câncer, com objetivo de evitá-lo. Tornar esse aconselhamento acessível aos pacientes do SUS é o objetivo do Programa de Câncer Hereditário do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), um novo serviço que tem se inserido em projetos nacionais para viabilizar o teste genético gratuito para pacientes da instituição.

Como explica o coordenador do serviço de Pelve e diretor do Programa de Câncer Hereditário do HCP, o cirurgião oncológico Vandré Carneiro: “A predisposição genética avalia pacientes com síndromes hereditárias que aumentam a chance de desenvolvimento do câncer, e nos possibilita agir de forma preventiva com esse paciente e com sua família, seja através de uma cirurgia redutora de risco ou de um diagnóstico precoce, que aumenta as chances de cura”, pontua. Para se ter uma ideia, uma mulher comum, sem predisposição hereditária, tem chance de 8 a 12% de desenvolver o câncer de mama (1 em cada 10 são diagnosticadas com a doença). Se a mulher for portadora de uma mutação no gene BRCA1, esse número sobe para 70% (7 em cada 10) – é o caso da atriz Angelina Jolie, que passou por uma cirurgia redutora de risco, em 2013, para prevenção do câncer de mama e de ovário. Embora menos comuns, os dados são semelhantes quando relacionados a outros tipos de tumores, como câncer próstata, melanoma e estômago. 

A necessidade da investigação genética surge com a suspeita de síndrome hereditária em pacientes enquadrados em alguns critérios clínicos, a exemplo de jovens diagnosticados com câncer; pessoas com mais de um tipo de câncer ou quando há histórico familiar da doença. Nesses casos, é indicado que o indivíduo faça o teste genético, por meio do qual é coletada uma pequena amostra de sangue ou saliva para identificar a existência de possíveis mutações no DNA. “A grande questão é que esta testagem não é disponibilizada pelo SUS. Por isso, por meio de projetos e publicações em congressos internacionais, nosso Programa visa provar que o aconselhamento genético possui um grande custo-benefício para o paciente e para o Sistema, pois evita onerar um tratamento caro e pode evitar que o indivíduo tenha câncer”, explica. O Programa já aprovou publicações no Congresso Europeu de Cirurgia Oncológica, na Hungria, e no Instituto Português de Oncologia, em Lisboa. 

Um dos projetos citados pelo cirurgião é o Genomas Raros, do Hospital Israelita Albert Einstein, que leva sequenciamento genético a pacientes do SUS. Em menos de um mês, cerca de 50 famílias de pacientes do HCP enquadradas nos critérios clínicos acima citados já foram beneficiadas com as testagens. “Para o paciente, os benefícios são claros: diminuição do risco de outros cânceres, possível mudança no tratamento e prevenção do câncer em membros da família”, pontua dr. Vandré. Com o HCP, também participam do projeto pacientes dos hospitais Barão de Lucena e IMIP, cadastrados no Programa de Câncer Hereditário de Pernambuco, criado há cerca de 4 anos. “O objetivo é testar muito mais famílias”, completa. Além disso, o HCP irá participar de um projeto com a Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), para testagem dos familiares de pacientes oncológicos com mutações genéticas. “Para o HCP, é algo inovador. Ser contemplado com os projetos trará um conhecimento gigante para pesquisa e assistência na instituição”, afirma.

Vale ressaltar que todo o processo de aconselhamento genético respeita a autonomia do paciente, que deve estar ciente de todas as implicações do teste e do resultado, bem como deve concordar em participar, através da assinatura de um termo de consentimento. Em todo o processo, ele é acompanhamento de perto pelo médico. 

 

 

 

senaidoacoes1.jpeg

Parceiro do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), o SENAI fez mais uma doação ao HCP. Resultado da Semana Interna de Prevenção a Acidentes do Trabalho (SIPAT), Idealizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), a ação rendeu mais de três toneladas de alimentos e itens de higiene pessoal. A captação do material foi realizada nas escolas técnicas do SENAI localizadas no Cabo e em Ipojuca. Além dos colaboradores, a gincana envolveu quatro turmas de cursos de curta duração das áreas de logística e administração, engajando cerca de 370 alunos.

Na gincana, a equipe vencedora ganharia cursos EaD gratuitos, à escolha dos alunos. “O engajamento foi tão grande que optamos por premiar todas as turmas participantes”, ressalta Fernando Freyre, gerente escolar das escolas do Cabo e de Ipojuca.

Para o Hospital de Câncer, as doações representam o entendimento da sociedade sobre a importância do HCP para o estado. “Somos uma instituição filantrópica responsável pelo tratamento de mais de 50% de todos os pacientes com câncer de Pernambuco. Pela nossa demanda, para continuar oferecendo tratamento de qualidade aos pacientes, precisamos contar com a colaboração da sociedade. Só de refeições, são distribuídas mais de duas mil para pacientes, acompanhantes e colaboradores, diariamente”, destaca a gerente de captação de recursos dos HCP, Juliane Carvalho. 

 “Precisamos ter empatia uns com os outros. Hoje estamos bem, mas não sabemos o dia de amanhã. É essencial trazer esses processos para dentro da sala de aula”, disse a docente Alexandra Souza, responsável por engajar mais de 260 alunos nessa ação. 

senaisdoacoes2.jpeg

destaque-residencia_2021.jpg

Foto: Dr. Alisson Carvalho, cirurgião oncológico do HCP, e dra. Elaine Santos, fonoaudióloga do HCP, profissionais especializados pela instituição. 

 

Instituição de referência na formação de novos especialistas em oncologia, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) está com processo seletivo aberto para os programas de residência médica, multiprofissional e uniprofissional. Os profissionais interessados podem se inscrever até o dia 27/12, através do site upenet.com.br, bem como acessar o edital e conferir o cronograma e as exigências para o processo seletivo. 

Para o ano de 2021, estão sendo disponibilizadas duas vagas para residência médica em cancerologia clínica, cancerologia cirúrgica, cirurgia de cabeça e pescoço e mastologia, e uma vaga para anestesiologia. Na área multiprofissional, estão disponíveis duas vagas para enfermagem e uma vaga para fisioterapia, fonoaudiologia, farmácia, nutrição, serviço social e psicologia. Também estão sendo ofertadas duas vagas para residência uniprofissional em enfermagem e odontologia.

Especializar e capacitar profissionais em oncologia tem sido uma das fortes atuações do HCP em Ensino e Pesquisa. Por meio dos programas de residência, os profissionais se especializam através da vivência no hospital, que é a maior referência em atendimento oncológico no estado. Como pontua o assessor da Superintendência de Ensino e Pesquisa, dr. Guilherme Costa, “O HCP tem investido cada vez mais em qualificar profissionais para atuar em Oncologia. Aqui, eles aprendem com os melhores profissionais do mercado, além de terem acesso ao serviço que é referência em Pernambuco”.

Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (81) 3217-8013 e (81) 3217-8001. 

 

 

cartaz_2021.jpg