Blog - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Blog

hcp.JPG

A gerente de projetos e convênios do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), Patrícia Menezes, esteve em Brasília, no Palácio do Congresso Nacional, entre os dias 14 e 17 de setembro. O objetivo era cumprir agenda de visitas aos parlamentares - Deputados Federais e Senadores Pernambucanos - para estimular a destinação de emendas parlamentares ao HCP.  As emendas parlamentares são recursos financeiros do orçamento público indicados pelos membros do congresso para atender as demandas das comunidades que representam. Por ser uma instituição privada e sem fins lucrativos, o Hospital de Câncer precisa do apoio de políticos e pessoas físicas e jurídicas para continuar oferecendo tratamento aos pacientes oncológicos, cerca de 1.100 atendimentos diários. 

O encontro com os parlamentares faz parte do trabalho da equipe de Convênios e Projetos do HCP, que mantem uma agenda de diálogo permanente com os parlamentares e seus assessores durante todo o ano, o que vem trazendo retornos positivos nos últimos anos. De 2014 a 2021, por exemplo, R$ 36.610.350,00 foram destinados ao HCP através de emendas parlamentares dos deputados federais, para aquisição de equipamentos, insumos e incremento do custeio. Com esta verba, foram adquiridos mais de 500 equipamentos hospitalares.

Durante sua viagem à Brasília, Patrícia Menezes buscou visitar todos os 25 deputados e os 03 senadores. 

 

carlosveras.jpeg

Foto: deputado federal Carlos Veras com Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP. 

mariliaarraes.jpeg

Foto: deputada federal Marília Arraes com Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP. 

augustocoutinho.jpeg

Foto: deputado federal Augusto Coutinho com Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP. 

pastoreurico.jpeg

Foto: deputado federal Pastor Eurico com Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP. 

tadeualencar.jpeg

Foto: deputado federal Tadeu Alencar com Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP. 

humbertocosta.jpeg

Foto: senador Humberto Costa com Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP. 

 

Alguns já haviam participado de reuniões no próprio hospital ou no gabinete, em Pernambuco, a exemplo dos deputados Daniel Coelho, João Paulo, Bispo Ossesio e Túlio Gadelha. 

 

deputado13.jpeg

Foto: deputado federal André de Paula; dr. Hélio Fonsêca, superintendente geral do HCP

deputado12.jpeg

Foto: dr. Hélio Fonsêca, superintendente geral do HCP; André Ferreira, deputado Federal; e Patrícia Menezes, gerente de convênios e projetos do HCP.

deputado1.jpeg

Foto: Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP; Cláudia Barbosa, superintendente administrativa do HCP ; Bispo Ossesio, Deputado Federal; e dr. Hélio Fonsêca, superintendente geral do HCP

danielcoelhor1.jpeg

Foto: Patrícia Menezes, gerente de projetos e convênios do HCP; dr. Hélio Fonsêca, superintendente geral do HCP; Daniel Coelho, Deputado Federal; e João Alberto, superintendente técnico do HCP. 

setembro.jpeg

Neste mês, além da campanha Setembro Dourado, que busca conscientizar a população sobre o câncer infantojuvenil, o HCP também abraça o Setembro Amarelo, que trata da importância da prevenção ao suicídio. Infelizmente, o suicídio é uma das principais causas de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo responsável por uma em cada 100 mortes. Há ainda o fator pandemia da Covid-19 que, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o contexto provocado pela crise sanitária pode ser um fator de risco para o suicídio. Diante disso, faz-se necessário debater o tema. 

No HCP, a equipe de psicologia coordenada por Karla Neves, iniciou nesta semana, uma ação de conscientização nas enfermarias da Quimioterapia. Na ocasião, a equipe começou com uma apresentação sobre o grupo, seguida de uma leitura de cordel abordando de forma bem didática o Setembro Amarelo. Após a leitura, os profissionais de psicologia abordaram o tema, reforçando a prevenção, identificação de sinais e a oferta para quem precisa, para assim desmistificar os preconceitos que envolvem o assunto. Por fim, o grupo finalizou com uma apresentação musical e distribuição de lacinhos amarelos. 

"Segundo a OMS o número de suicídios aumentou significativamente devido a pandemia e, em especial, nos profissionais de saúde, seja em razão da sobrecarga de trabalho e o medo de transmissão aos seus familiares." destacou Karla Neves. 

A ação deve continuar ao longo da próxima semana, levando informação para outros setores no HCP.

 

1.JPG

Solidariedade, amor, carinho e muita empatia fizeram parte da missa em homenagem aos 15 anos das nossas pacientes Alanny, Clara, Eduarda, Ester Camily, Hellen, Julia, Luciele, Milena, Ranyelle e Samylla. 

As 10 jovens tiveram direito a uma produção especial, com vestido personalizado, maquiagem e muito mais. Tudo organizado pela Rede Feminina, grupo voluntário do HCP que há 75 anos promovem ações sociais em prol de um dia a dia mais feliz para os que se tratam por aqui, as madrinhas das meninas e parceiros mais do que especiais que queremos deixamos o nosso enorme agradecimento:

Empresas de assessoria de eventos: Alliance, Criativas, Cerimoniart e Jane Monteiro. 

Buffet: Di Branco

Bolo: Cassia Pereira

Decoração: Eliel Alves

Doces: Lana Bandeira, Benta Brigaderia, Lucinha Cascão, Doce Bolinha e D’Sucré

Música: Aguinaldo Menezes, Larissa Lisboa, Rafa Cout e Clara Sobral

Sonorização: Jr Som e Luz

Fotografia: Daniel Siqueira

Filmagem: Link Digital

Cabelo/Make: Sandro Santos

Sandálias: Club do Salto

Bolsinhas: Dona Rosa

Maletinhas: Duda Chá

 

2.JPG

3.JPG

4.JPG

15anos.jpeg

 

 

mariadapaz.jpeg

Maria da Paz Azêvedo Silva, ou apenas dona Maria da Paz. A mulher que carrega a paz no nome e também na alma completa mais um ano de vida, motivo suficiente para celebrar neste dia 17 de setembro. Nascida em uma família de cinco irmãos, dona Da Paz aprendeu desde cedo a partilhar, vendo seu pai e sua mãe ajudarem ao próximo, seja em creches, abrigos ou nas ruas. Hoje, a dona de uma de voz calma e olhar acolhedor, representa um grupo voluntário essencial na jornada de tantas pessoas no HCP. É imensurável o trabalho da Rede Feminina que, há pelo menos seis anos é presidida por dona Maria da Paz. 

Um fato curioso é que, antes mesmo do seu nascimento, Da Paz já sensibilizava as pessoas como quando no dia da sua vinda ao mundo, no qual ela mesma conta que “nasceu pelas mãos de um ladrão”. 

“Meu pai saiu desesperado de madrugada atrás uma parteira e, ao passar por uma ponte, foi surpreendido por um ladrão que o ameaçou com uma faca. Meu pai prontamente disse que não tinha nenhum centavo e apenas estava procurando uma parteira. Foi no dia do meu nascimento. O ladrão se sensibilizou e disse que tinha uma irmã que era parteira, e esse foi o começo da história da minha vida”, relata. 

A vida de Da Paz não existe por acaso, assim como sua trajetória como voluntária no HCP. O seu primeiro contato aqui na instituição foi em 1991, quando veio acompanhar o pai diagnosticado com câncer. “Foi quando eu despertei para aquilo que fui preparada na minha infância e juventude”, diz Da Paz sobre a vontade de ajudar as pessoas. Com o pai em tratamento, dona Da Paz observou e ouviu histórias de outros pacientes que, muitas vezes, não tinham condições de vida favoráveis em suas casas. 

Anos depois, a Rede Feminina “bateu na porta” da vida de dona Da Paz por um acaso. Uma voluntária da época lhe pediu doações de ovos para alimentar os pacientes aqui no hospital. Dona da Paz, que era comerciante, cedeu ovos por muito tempo e, em paralelo a isso, vinha ao HCP para conhecer mais de perto o trabalho dos voluntários, bem como a realidade dos pacientes. 

“Um paciente específico que estava em estágio terminal, foi a pessoa responsável que me fez assumir o compromisso de, finalmente, me tornar voluntária no HCP”, detalha.

Em 14 anos como voluntária da Rede Feminina e atuante no HCP, dona da Paz já viveu inúmeros momentos marcantes, sempre com um objetivo: fazer com que os nossos pacientes se sintam amados, vivos e bem. Em 2011, criou o projeto pós-hospitalar (doação de cestas básicas mais suplementos), para pacientes da pediatria, oferecendo mais qualidade à assistência domiciliar.

Dra. Claudia Barbosa, superintendente administrativa do HCP, não poupa palavras para descrever a mulher que traz consigo a força e a ternura necessárias para expressar solidariedade. 

"Maria da Paz é uma mulher extraordinária na sua caridade, atenção e amor com os que mais precisam. Ela olha para o outro e se coloca no lugar dele, uma verdadeira doação, imensurável. No Hospital de Câncer de Pernambuco, faz um trabalho maravilhoso junto ao voluntariado, que está sempre à disposição para ajudar as pessoas. Eu sou uma mulher feliz por ter Maria da Paz na minha convivência profissional e pessoal."

Dentre suas colegas de voluntariado, há também admiradoras e amigas, como as voluntárias Luiza Miranda e Gecilda Barbosa.

“A minha relação com Maria da Paz é de mãe para filha. Uma afinidade que não tem tamanho. É uma pessoa guerreira, que ama o seu próximo e faz um trabalho espetacular aqui no HCP. Eu a amo muito, é um amor maternal que não tenho como explicar em palavras”, pontuou Luiza Miranda.

“Da Paz é como uma mãe. Ela sabe conduzir as coisas da melhor maneira possível. Ela é a razão e emoção ao mesmo tempo, além de ser uma pessoa que se doa muito para todos”, disse Gecilda Barbosa.

Ana Cristina, gerente de atendimento, destacou que tudo flui quando Maria da Paz está por perto.

“Uma mulher dedicada, solidária, que cuida de cada paciente e que cuida do hospital como um todo. Para mim, dona da Paz é uma pessoa muito importante e extremamente simples, desprovida de qualquer vaidade. Sempre vejo dona da Paz fazendo muito além pelos outros e de coração."

troco.jpeg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu mais um cheque oriundo da campanha Troco Solidário, fruto da parceria do Arco-Mix e Arco-Vita com o HCP. O valor referente ao mês de agosto é de R$ 59.649,69 e servirá para a aquisição de instrumentos cirúrgicos, ferramentas essenciais na realização dos procedimentos de cirurgia. A entrega do troco foi realizada na unidade do Arco-Mix no bairro da Várzea, na Zona Oeste do Recife. 

Na ocasião, Juliane Carvalho, gerente do setor de Captação de Recursos e Doações do HCP foi recebida pelos colaboradores do estabelecimento, que ficaram muito felizes por mais essa contribuição. Pela segunda vez consecutiva, a operadora de caixa Thacyla Vitória foi a que mais arrecadou trocos dos clientes. Ela ressaltou a importância de doar para o HCP. "Pra mim é uma alegria enorme poder ajudar. Nunca fui ao HCP, espero vistitar em breve, quando tudo isso passar, pois sei da grandeza desse hospital que acolhe tanta gente". 

A gerente da loja, Luana Teixeira, também comemorou a entrega: "A sensação é de orgulho e de dever cumprido. A gente se sente muito feliz por fazer parte de uma empresa tão solidária como o Arco-Mix. A gente realmente sente prazer em ajudar as pessoas", disse Luana.

Este mês, o Arco-Mix está completando 40 anos de história, assim como a rede Arco-Vita, que está celebrando seus 12 anos no mercado atacarejo, ambos fazem parte da família pernambucana e da família do HCP. Graças à parceria com a instituição, o Troco Solidário vem ajudando a salvar as milhares de vidas. A cada mês, o hospital define o investimento a ser feito com a doação. Entre outros benefícios, os valores foram utilizados para complementar a aquisição de uma ambulância, compra de computadores, longarinas, além de outras melhorias estruturais e assistenciais. Gratidão por tudo e muita prosperidade ao Arco-Mix e Arco-Vita.

 

DESTAQUE.jpg

Setembro é o mês de alerta aos sinais e sintomas relacionados ao câncer infantojuvenil, conjunto de doenças oncológicas que podem afetar crianças ou adolescentes entre 0 e 19 anos. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), são esperados para o Brasil, neste ano, 8.460 novos casos – 4.310 para o sexo masculino e 4.150 para o feminino. Para conscientizar sobre o diagnóstico precoce da doença, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) apoia a campanha Setembro Dourado, que pode ser conferida nas redes sociais, @sigahcp.

Os tipos mais comuns do câncer infantojuvenil são leucemia, linfomas e tumores no sistema nervoso central. Além disso, há os tumores ósseos, que são tumores que causam dor, confundidas com a chamada dor do crescimento. “Qualquer sintoma persistente deve ser avaliado por um profissional médico. Por isso, é imprescindível que a criança seja acompanhada por um médico em todas as fases do seu desenvolvimento”, explica a Dra. Virgínia Almeida, oncologista pediátrica.

Perda de peso sem motivo; dores de cabeça, palidez, vômitos; inchaço ou dor persistente nos ossos ou articulações; protuberância ou massa no abdômen, pescoço ou qualquer outro local; desenvolvimento de uma aparência esbranquiçada na pupila do olho ou mudanças repentinas na visão; febres recorrentes não causadas por infecções; surgimento de manchas no corpo; sangramento e palidez perceptível ou cansaço prolongado são alguns sinais que podem ser indícios da doença. “Os cânceres infantojuvenis são cânceres que, normalmente, têm uma velocidade de crescimento muito rápida. Então, quanto mais cedo for diagnosticado, maiores são as chances de cura da doença.”, completa a dra. Virgínia.

Excluindo as causas externas de mortalidade, câncer é a primeira causa de morte no país ,considerando a faixa etária de 5 a 19 anos, de acordo com o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) de 2017.  Por isso, a atenção ao câncer infantojuvenil não pode ser adiada. “A campanha Setembro Dourado é de extrema importância para chamar atenção para a devida importância aos sinais iniciais dessas doenças”, aponta o oncologista. 

 

longarinas.jpeg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) adquiriu novas longarinas de cinco lugares que, inclusive já foram colocadas no Ambulatório de Pélvis para uso de nossas pacientes e acompanhantes. A compra se deu graças ao troco solidário arrecadado pelo Arco-Mix. O Troco Solidário é fruto da parceria dos supermercados Arco-Mix e Arco-Vita Atacarejo em prol do HCP, e que já dura há mais de três anos.

O valor destinado para a aquisição foi de R$ 59.531,98 e, certamente, fez uma grande diferença no conforto de quem espera para uma consulta ou exame. Em breve, o setor da Triagem, que recebe os pacientes pela primeira vez, também será comtemplado com novas longarinas compradas através do troco. 

O Troco Solidário coleta trocos dos clientes que fazem suas compras nas unidades do Arco-Mix em vários municípios de Pernambuco. Mensalmente, esses trocos arrecadados pelos estabelecimentos e entregues ao HCP com propósitos que visam trazer melhorias para centenas de pacientes em tratamento na instituição. 

longarinas2.jpeg

 

reuniao.JPG

Gestores do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) e HCP Gestão reuniram-se com o conselho administrativo e fiscal da Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer (SPCC) na manhã da última segunda-feira (30) para o lançamento da construção do novo Planejamento Estratégico, que será realizado em parceria com a consultoria Deloitte Brasil, com foco na sustentabilidade econômico-financeiro HCP/SPCC. Seguindo todas as regras que o momento pandêmico ainda pede, o evento aconteceu na biblioteca, com transmissão online. Ao todo, mais de 60 pessoas acompanharam esse momento, que marca o início de novos rumos na gestão do hospital.    

O presidente da SPCC, Ricardo de Almeida, iniciou as falas do dia, destacando a importância desse novo projeto. Em seguida, o superintendente geral do HCP, dr. Hélio Fonsêca, fez uma breve explanação sobre a história da instituição e a sua importante atuação no cenário de saúde oncológica de Pernambuco e destacou que a consultoria faz parte da visão estratégica do hospital - Ser reconhecido nacionalmente pela qualidade do atendimento oncológico para pacientes do SUS, com ênfase na sustentabilidade, humanização, satisfação dos usuários, bem como pela excelência de atividades de ensino e pesquisa – e pediu o apoio de toda a equipe gestora nesse momento de transformação. “Através de uma atuação voltada para a cultura de resultados, precisamos do engajamento de todos, no sentido de fortalecermos o ambiente positivo, propiciando mais crescimento em busca de novos investimentos”, destacou dr. Hélio. O superintendente também destacou o trabalho que já vinha sendo desenvolvido no sentido de buscar caminhos e soluções para equacionar o déficit da instituição. “A construção do HCP mais sustentável foi iniciada com a GD Consult, através do lançamento do Planejamento Estratégico 2015-2018. Outros processos já vinham em andamento com as consultorias da MAIS e da CPPL”, lembra. 

 “A Deloitte possui atuação ampla em projetos no mercado de saúde, que nos posiciona de forma impar no entendimento das dores e visão de valor de todas as partes envolvidas no desenvolvimento de programas de saúde”, iniciou Murilo Barini, Gerente Sênior de Life Sciences & Healthcare da Deloitte Brasil durante sua apresentação. A consultoria terá início com o diagnóstico do modelo operacional atual, a identificação de recomendações e, por fim, a implementação de um plano de ações que será construído com foco nos objetivos estratégicos do HCP. 

Para o diagnóstico, será necessário identificar os processos atuais, lacunas existentes, e cruzamento dos objetivos da instituição com alavancas de valor associadas, objetivando identificar as melhores práticas de mercado em processos, tecnologias e gestão organizacional. Assim, será possível estruturar um plano de recomendações considerando as melhores práticas de mercado e eficiências internas, priorizando as iniciativas associadas ao aumento de receitas, redução de custos, maior margem operacional, eficiência dos ativos e eficácia organizacional. Por fim, acontece a implantação, com acompanhamento e suporte da Deloitte nas ações vinculadas ao plano de implementação, suportando a gestão de projetos e desenvolvimento de conteúdos de suporte às iniciativas, visando a sustentabilidade financeira do HCP/SPCC. A construção do Planejamento Estratégico com a consultoria da Deloitte Brasil deve acontecer no prazo de seis meses.

notadepesarmarcelo.jpeg

Com muita tristeza e pesar, o Hospital de Câncer de Pernambuco lamenta profundamente o falecimento do nosso parceiro Marcelo Souza, ocorrido no último sábado (28). Marcelo era empresário, diretor da HOG Recife Chapter e voluntário da ONG Novo Jeito, responsáveis por diversas ações solidárias no HCP. 

Além do evento NovembroAzulMotor’s, do HOG Recife Chapter, que alertava sobre a saúde do homem e realizava ações de captação de recursos para o hospital, Marcelo também estampou a campanha Novembro Azul 2020 do HCP, junto a outras personalidades de Pernambuco. 

Aos familiares, amigos e colegas de trabalho, prestamos condolências pela grande dor e externamos votos de solidariedade.

Hospital de Câncer de Pernambuco

 

jornadaenfer.jpg

Nos últimos dias 27 e 28 de agosto, a biblioteca do Hospital de Câncer de Pernambuco sediou a primeira Jornada de Enfermagem Oncológica da Residência HCP. O evento foi organizado pela própria equipe de residentes em enfermagem e buscou abordar a atuação da enfermagem na oncologia. Em razão da pandemia, o evento foi restrito para apenas convidados, entre ouvintes e palestrantes. 

Na tarde do primeiro dia, a jornada começou com uma mesa redonda que debateu o tema "Inserção no mercado de trabalho pós-residência e perspectiva de futuro no campo da oncologia", para o qual trouxe ex-residentes com o objetivo de relatar suas experiências no campo da residência oncológica. Cássia Figueiredo, Kelly Monteiro, Elton de Lima e Aline Ferreira foram os enfermeiros palestrantes do primeiro dia.

Kelly Monteiro é enfermeira que atua na área da Pesquisa Clínica. Segundo ela, a enfermagem é mais do que assistência ao paciente. "O enfermeiro oncológico hoje em dia é bastante procurado em todos os lugares. A gente é assistência, mas a gente tem a capacidade de mediar conflitos e lidar com problemas. Ser enfermeiro é ter iniciativa, é saber, ao mesmo tempo, ligar a teoria à prática e ter uma humanização e respeito diferenciados", disse Kelly.

jornada3.JPG

Durante o sábado (28), os residentes assistiram às palestras de Nathaly Souza, Andreyna Javorski,Tânia Guimarães, Karla Albuquerque, Matheus Cavalcante De Deus e Rita de Cássia Pacheco Paiva. Assuntos sobre radioterapia, cuidados paliativos e oncologia pediátrica foram pautadas na jornada. Karla Albuquerque, que é enfermeira especialista em cuidados paliativos, explicou a importância da comunicação compassiva na área, visto que o setor cuidados paliativos se dedica a proporcionar um atendimento específico ao paciente oncológico. "A comunicação nos cuidados paliativos é um dos pilares para este tipo de assistência, pois é um facilitador em todo o processo de atendimento ao paciente, à família e na relação profissional em cuidados paliativos. O profissional que atua em cuidados paliativos precisa estar cada vez mais ciente do que a gente precisa, do que a gente pode e de como a gente vai ajudar o paciente", acrescentou. 

jornadaaa.JPG