Lucas Romão, uma história de amor ao próximo e ao HCP - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Lucas Romão, uma história de amor ao próximo e ao HCP

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

Lucas Romão tinha 16 anos quando foi diagnosticado com linfoma, tipo de câncer que afeta o sistema de defesa do organismo. Nessa idade, os jovens estão se descobrindo e pensando na profissão que vão exercer no futuro, mas Lucas decidiu dedicar o seu tempo, entre um procedimento médico e outro, para ajudar pessoas que também estavam passando por tratamento. Ele não era paciente do HCP, também não tinha nenhum conhecido sendo acompanhado aqui, mas o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) foi uma das instituições que escolheu ajudar.

Ele criou o grupo Bem Infinito que, no primeiro dia, já reunia 30 voluntários, todos adolescentes, estudantes de diversas escolas do Recife, entre 15 e 17 anos. Juntos, mobilizaram outros parceiros e fizeram a primeira ação para o HCP, doaram alimentos para ajudar na produção das mais de duas mil refeições oferecidas, por dia, para pacientes, acompanhantes e funcionários.

A iniciativa dos jovens se estendeu para creches e casas de apoio, fizeram eventos de Dia das Crianças e outras datas comemorativas. Mesmo internado, Lucas não queria falar sobre a doença, fazia questão de participar de toda a organização das ações do grupo e, ainda, tinha tempo de pensar em outros projetos. A família explicou como sua personalidade forte e empreendedora ajuda diversas pessoas. “Apesar de jovem, Lucas tinha uma mente madura. Quando perguntávamos o que ele gostaria de ser no futuro, dizia querer ajudar o próximo. Também era um empreendedor nato, desde novo produzia pulseiras e colares para vender, depois criou alguns pontos de venda de brownie e empregou quem precisava”, lembra a irmã mais velha, Thais Romão.

Em novembro deste ano, aos 17 anos, Lucas faleceu, mas deixou um legado de amor ao próximo, carinho e amizade. Mesmo abalados, familiares e integrantes do Bem Infinito fizeram questão de vir ao HCP, onde tudo começou, na última quarta-feira (20). Trouxeram 122 cestas básicas, com itens importantes para o nosso setor de doações. “O Bem Infinito não vai acabar. Vamos manter o projeto que ele criou e continuar ajudando mais e mais pessoas”, destaca a namorada de Lucas, Luiza Diniz.  

Todos que fazem parte do Hospital de Câncer de Pernambuco agradecem essa linda atitude do Lucas, seus familiares e amigos.