Destaque Inferior - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Destaque Inferior

Notícias quem ficam no destaque inferior da página inicial

dapaz.jpg

A emoção tomou conta durante a cerimônia de posse da chapa Agora somos Nós, representada por dona Maria da Paz.  Vestidos de rosa e bem elegantes, todos os voluntários se reuniram para celebrar não só a posse, mas o trabalho da Rede Feminina realizado no HCP há tantos anos. Com a pandemia, tudo ficou ainda mais difícil, mas o grupo de voluntários não perdeu o brilho e nem a vontade de ajudar.

O momento foi marcado por discursos e orações. Uma das pessoas discursaram na capela do HCP, foi a Dra. Cláudia Barbosa. De acordo com ela, o empenho da Rede Feminina é essencial para o Hospital de Câncer, por todo o acolhimento e amor doado por eles.

“Parabenizo a toda Rede Feminina pelo trabalho desempenhado, especialmente a dona Maria da Paz pela 2ª gestão à frente do voluntariado. Pra mim, é uma emoção ter pessoas tão bondosas e dedicadas ao HCP. Agradeço do fundo do meu coração por toda a parceria e também pelo acolhimento dado aos nossos pacientes, assim como as várias doações que conseguimos graças à Rede”, reconheceu Dra. Cláudia.

Conhecidos como “anjos de bata rosa”, a história da Rede Feminina se confunde com a própria história do HCP, pois o grupo existe na instituição praticamente desde o início. Dona Maria da Paz, presidente da Rede, estava muito emocionada. Segundo ela, nada é tão gratificante como lidar com pessoas e entender as suas necessidades.

“Uma palavra descreve o meu interior, que é gratidão. Me gratifica muito fazer parte desta instituição. A rede é como se fosse minha mãe, e eu tenho consciência de que tudo que a gente consegue conquistar, não sou eu sozinha. A Rede Feminina é uma família. Todos nós nos envolvemos em tudo”, declarou.

 

posse (15).jpg

posse (13) (1).jpg

beminfinito1.jpeg

 

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu uma tonelada de mantimentos do grupo solidário Bem Infinito, que desde 2019 ajuda o HCP com doações mensais de alimentos não perecíveis. A entrega foi realizada na tarde da terça-feira (18) e teve a presença da imprensa. 

O projeto Bem Infinito doa alimentos para a instituição dando continuidade à ação de Lucas Romão, que foi acometido por um câncer ainda muito jovem. E mesmo sem ter tido qualquer ligação com o Hospital de Câncer, Lucas idealizou o projeto e passou a ajudar a instituição. Ele não resistiu às complicações do câncer, mas desde então, família e amigos de Lucas ajudam o HCP com alimentos, como arroz, feijão, açúcar e macarrão. A arrecadação é importante para alimentação de milhares de pacientes e acompanhantes que são atendidos no hospital diariamente. 

Yuri Romão, pai de Lucas, disse que o pilar de contribuições é no HCP, onde eles mantêm uma regularidade de doações uma vez ao mês. Além de contribuir para o hospital, o Bem Infinito também faz entregas em comunidades carentes do Recife. Segundo Yuri, essa é a forma que eles encontraram de manter viva a memória de Lucas.

beminfinito2.jpeg

“Procuramos ajudar não só o hospital, mas o paciente em si. Sabemos da dificuldade que é estar em um tratamento quimioterápico, além de que muitos desses pacientes são humildes e vêm de longe. Queremos fazer ainda mais pelo HCP, inclusive usando o network que tenho com empresários para mobilizá-los a olhar por quem mais precisa”, explicou Yuri. 

Quando contribuem com alimentos, conseguimos comprar mais medicamentos e insumos para o hospital. Cada gesto de doação, ajuda no tratamento de mais 50% dos pacientes com câncer em Pernambuco.

IMG_4624.JPG

Com o intuito de tornar mais leve as relações interpessoais na área da saúde, a equipe de Comunicação e Marketing do Hospital de Câncer de Pernambuco articulou uma palestra voltada para os colaboradores do HCP que lidam com pacientes e acompanhantes no exercício do trabalho. O tema, comunicação não-violenta, buscou apresentar aos funcionários formas sutis de reagir a uma situação de potencial estresse. 

 A iniciativa partiu de uma parceria da equipe de Comunicação e Marketing e contemplou as equipes de atendimento da Regulação, Oncologia Clínica e ambulatórios, setores esses lidam diretamente com o atendimento ao público, os quais trabalham através do acolhimento e do diálogo. Ao todo, de 24 funcionários assistiram à palestra. Os que não puderam participar, serão contemplados com as orientações em outros momentos. 

 A palestra ficou a cargo de Manuela Moraes, que tem formação em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e em administração de empresas na Universidade de Pernambuco (UPE). Com experiências em endomarketing, marketing e comunicação interna, Manuela enxerga a comunicação como meio de engajamento e transformação. 

"Uma comunicação eficaz pode evitar situações de atrito, principalmente no ambiente de trabalho, em especial na saúde, onde o clima é difícil em decorrência da atividade institucional (tratamento de câncer). Em conversa com os gestores, conseguimos identificar os principais pontos de queixas dos colaboradores e foi nítido que as relações interpessoais, sejam entre os próprios funcionários ou deles com os usuários do serviço poderiam ser melhor trabalhada. Nesse contexto, surgiu a oportunidade de trazemos a Manuela, que entendendo a necessidade desse curso e da situação do HCP como hospital oncológico filantrópico, ofereceu o curso de forma totalmente gratuita", explica Camyla Nóbrega, coordenadora de Comunicação do HCP.

IMG_4616.JPG

  “A comunicação não violenta é um método de comunicação que tem como objetivo facilitar o processo de comunicação no trabalho. Se trata de um conceito que estimula a compaixão e a empatia entre as pessoas. Quando alguém se comporta de maneira mais agressiva com o outro, há uma tendência de que essa pessoa lida com algum problema ou algum tipo de dor, que faz com que a reação seja da pior maneira possível”, esclareceu Manuela para os mais de vinte colaboradores presentes. 

 Manuela destacou que a comunicação violenta pode ser reproduzida em qualquer situação, sem que a perceba que está sendo hostil. Nesse caso, o primeiro sinal de agressividade é o julgamento. 

“Num momento de estresse ou quando a pessoa já sente uma fadiga emocional, é comum a postura de julgar sem um entendimento prévio do que está acontecendo com a outra pessoa. Tudo pode ser resolvido com um simples diálogo”, acrescentou. 

 Usar o conceito da comunicação não-violenta nem sempre é algo fácil, pois requer paciência e empatia. Contudo, ela pode começar a ser trabalhada com pequenos gestos de observação, de revisão das próprias atitudes e honestidade.

 

IMG_3336.JPG

Primeira instituição do Nordeste a oferecer essa especialização, o  Fellowship do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é um programa que objetiva aprimorar médicos por meio do acompanhamento de atividades práticas e teóricas que envolvem uma determinada especialidade. A exemplo do Fellowship em Urologia Oncológica do HCP, também o primeiro do nordeste, que encerrou sua 5ª edição no último mês de março, certificando o urologista Marcos Santos.  No programa, o médico urologista vivenciou, durante um ano, o funcionamento dos serviços no HCP, compartilhando conhecimento com o corpo clínico de profissionais que são referência na especialidade. “O Fellowship é um treinamento intensivo em urologia oncológica, onde é possível aprofundar-se nessa área mais específica, diferente da residência normal em urologia onde a atenção é aplicada de forma geral”, explica o urologista e coordenador do Fellowship em Urologia Oncológica do HCP, dr. Luiz Henrique. 

Entre às atividades teórico-práticas, estavam cirurgias de alta complexidade, laparoscopia, prostatectomia radical, nefrectomia radical e parcial, biópsia de próstata, cirurgias endoscópicas e estágio opcional não remunerado no A.C Camargo Cancer Center ou no Instituto de Câncer de São Paulo (ICESP). 

*Confira entrevista com o Fellow em Urologia Oncológica do HCP, Marcos Santos:

IMG_3333.JPG

1.Como foi a experiência em ser Fellow em urologia no HCP?

Experiência excelente. O corpo clínico experiente da urologia associado a uma demanda de casos complexos fazem a diferença. Além disso, o hospital possui toda a estrutura para o atendimentos completo ao paciente oncológico equipes multidisciplinares, serviço de oncologia e radioterapia, por exemplo, que garantem uma gama de conhecimentos na área. 

2. Quais aprendizados tira desse momento?

Experiência relativa ao tratamento e condução de casos clínicos complexos, bem como experiência com cirurgias de grande complexidade técnica. Além disso, oportunidade de contato com as maiores autoridades mundiais da urologia oncológica através de lives promovidas pelo coordenador do Fellowship, Dr. Luiz Henrique.

3. Quais os principais benefícios em atuar em uma instituição como o HCP?

A possibilidade de proporcionar o tratamento integral ao paciente, vendo todo o processo acontecer no próprio hospital: diagnóstico, tratamento cirúrgico, pós-operatório, seguimento clínico, discussão do caso com outras especialidades e profissionais da área multidisciplinar, como enfermagem, fisioterapia, nutrição e psicologia.

4.Como profissional, o que essa experiência irá agregar em seu currículo?

Agregar, além das vantagens já citadas anteriormente, o diferencial de obter a certificação de Fellowship em um serviço chancelado pela Sociedade Brasileira de Urologia. Certamente, isso traz um diferencial ao currículo.

*Entrevista realizada pelo Departamento de Marketing e Comunicação do Hospital de Câncer de Pernambuco. 

 

ligacabeca.jpeg

Integrantes da Liga Acadêmica de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (LICCAPE) do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), grupo com 16 estudantes de medicina que vivenciam a rotina do departamento no HCP, se uniram em prol da instituição. Em alusão ao Dia Mundial de Câncer, celebrado no dia 04 de fevereiro, os jovens criaram um Trote Solidário formado pela Liga e projetos de extensão da Uninassau, incluindo também os calouros, para arrecadação de equipamentos de proteção individual (EPI’s). Ao todo foram doados ao HCP 205 máscaras N95, 660 máscaras cirúrgicas, 165 litros de álcool e 16 filtros respiratórios HME. 

Participaram quatro equipes, cada uma com 16 componentes, assim como a colaboração de amigos e familiares. A ideia surgiu em uma reunião da diretoria da LICCAPE que depois de estruturar o projeto, convidou as demais ligas para participar da campanha.

ligapescoco.jpeg

 

notadepesar_domingos.jpeg

Com muita tristeza e pesar recebemos a notícia do falecimento do empresário e dono da Armazém Coral, Domingos Moreira, aos 87 anos. Um homem trabalhador, que há mais de dez anos também abraçou a causa do HCP e, anualmente, contribuía para o desenvolvimento da nossa instituição.

No último mês de janeiro, seu Domingos esteve no Hospital de Câncer para reafirmar o seu compromisso, assim como fez em todos os anos anteriores, desde o início dessa linda parceria. “Seu Domingos iluminou esse hospital com o seu coração caridoso. Através das suas doações, nossa instituição pôde aprimorar os espaços físicos para melhor acolher os nossos pacientes ao longo dos anos. Além disso, com a sua simpatia nos ensinou a importância de valorizar cada conquista e cada parceria” destaca Cláudia Barbosa, superintendente administrativa do HCP.

Aos familiares, amigos e colegas de trabalho, prestamos nossas condolências pela grande dor e externamos nossos votos de solidariedade.

Hospital de Câncer de Pernambuco

agendaHCP.png

Em comemoração aos 75 anos de trabalho filantrópico, HCP inicia a venda de caderno comemorativo para arrecadar recursos para a instituição

Instituição privada, sem fins lucrativos, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) completou, em novembro de 2020, 75 anos de serviços prestados à população em tratamento de câncer, atualmente representando 50% de todos os pacientes oncológicos do estado. Em comemoração a data e com o objetivo de arrecadar recursos para ajudar o hospital, o HCP iniciou a venda de um caderno comemorativo, que terá toda sua renda revertida para completar o tratamento de crianças, jovens, adultos e idosos atendidos na instituição. O material pode ser adquirido no Posto Pichilau (Posto Sul), em Prazeres, e nas Livrarias Jaqueira.

A campanha foi toda desenvolvida pela equipe de marketing e comunicação do HCP, com a proposta de oferecer um produto que represente a história da instituição. Na campanha, que pode ser conferida nas redes sociais do hospital (@sigahcp), um vídeo relata a trajetória do HCP, que através de mãos voluntárias, tornou-se a principal referência em tratamento de câncer no estado. E é desse voluntariado, através da presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pernambuco, Maria da Paz Azevedo, que saiu o poema narrado no vídeo pelo ator pernambucano, Aramis Trindade, que já participou de produções como O Auto da Compadecida.

O caderno é atemporal, com calendário até 2024 e, ainda, com áreas para planejamento pessoal e financeiro. A obra de arte que ilustra a capa foi cedida pelo filho de Ariano Suassuna, Manuel Dantas Suassuna, e o layout desenvolvido pelo designer Ricardo Gouveia de Melo. Parceiro do Hospital de Câncer de Pernambuco, a rede Pichilau e a Livraria Jaqueira se disponibilizaram como ponto de venda. De forma presencial, os interessados podem adquirir o caderno na conveniência do Posto Pichilau (Posto Sul), na BR 101 SUL, KM 83,7, em Prazeres, Jaboatão dos Guararapes, e nas Livrarias Jaqueira (Paço Alfândega e Jaqueira). 

 

IMG_9078.JPG

Dessa vez foi na loja Arco-Mix, no centro do Cabo de Santo Agostinho, na última terça-feira (09), que as equipes do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) e da rede de supermercados se reuniram para a entrega de mais um cheque da campanha Troco Solidário. A ação acontece mensalmente, no mercado Arco-Mix ou no atacarejo Arco-Vita, fazendo a entrega simbólica do cheque com a quantia arrecada no mês anterior. A soma do mês de janeiro rendeu R$ 54.569,26 em doação para o HCP.

O Troco Solidário, desde o último mês de dezembro, já conta com uma nova forma de doação, o cartão de crédito. “É mais uma maneira de incentivar o cliente, já que ele tem a possibilidade de pagar o valor doado no mês seguinte. Percebemos que com essa forma de pagamento, o cliente se sente mais confortável para arredondar a quantia e ajudar o HCP. Eles sabem da importância da instituição, muito confirmam que conhecem pessoas que se tratam lá e, muitas vezes, são os próprios parentes”, destaca Jucilene Duda, operadora de caixa da loja.

A campanha já acontece desde novembro de 2018 e, somando todas as quantias, já arrecadou mais de um milhão de reais para o hospital. Na ação, as operadoras de caixa da rede estimulam que o cliente deixe as moedas do troco ou, se preferir, outra quantia, que será doada integralmente ao hospital. O valor sai registrado na nota fiscal. 

covid01.jpeg

Seguindo as normativas estabelecidas pelo Ministério da Saúde e os governos estaduais e municipais para a 1ª fase de vacinação contra a Covid-19, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) deu início, no último sábado (23), à vacinação dos trabalhadores envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos do Novo Coronavírus.

Nesta 1ª fase foram vacinados os funcionários atuantes na Urgência Oncológica, Enfermaria Anjo Clínico e UTI Nossa Senhora Aparecida, totalizando 181 profissionais entre médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, maqueiros e auxiliares de serviços gerais atuantes na linha de frente. 

Coordenador da Urgência e da Enfermaria Anjo Clínico, dr. João Paulo estava presente no dia da vacinação. “Para mim, o marco desse ano é o início da vacinação dos profissionais de saúde. A chegada da vacina nos dá um sentimento de renovação e de esperança de dias melhores, que em breve poderemos sorrir sem máscara e abraçar sem medo”, destaca o profissional.

A vacinação ocorreu durante três dias, encerrando na última segunda-feira (25), seguindo os dias de plantão de cada funcionário, conforme orientação dos coordenadores das áreas.

covid02.jpeg

covid03.jpeg

IMG_8541.JPG

Há um ano, o proprietário do Armazém Coral Achaqui, Domingos da Silva Moreira, parceiro do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) há mais de oito anos, esteve na instituição para entregar a sua doação anual. Hoje (21), exatamente um ano depois, veio ao HCP reafirmar esse compromisso.

Superior ao ano passado, para 2021, o Hospital de Câncer recebeu R$70.000,00 em materiais de construção, a ser utilizado durante todo o ano para cobrir as necessidades diárias de manutenção da instituição, como tintas, materiais hidráulicos e materiais elétricos. E mais uma contribuição em dinheiro no valor de R$ 78.000,00, que serão pagos em parcelas mensais. Doações como essas ajudam o HCP na manutenção da instituição, atualmente responsável pelo tratamento de mais de 50% dos pacientes com câncer de Pernambuco. “Nosso objetivo é contribuir no dia a dia do hospital, nas necessidades diárias. Sabemos a importância dessa instituição e os grandes custos com manutenção. Nessa parceria, podemos contribuir um pouco”, destaca Domingos Moreira.