Você com Saúde - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Você com Saúde

A Medicina diz claramente que uma das principais causas do câncer de pele é a exposição prolongada ao sol. E todo mundo sabe disso. Mas, dezembro chegou e não custa nada relembrar o assunto. Por isso, a equipe do Departamento de Dermatologia do Hospital de Câncer, que realizou mais de mil consultas, de janeiro a outubro de 2015, alerta os pernambucanos para a proteção necessária no verão, quando as pessoas tendem a ir à praia com maior frequência.

Existem dois grupos principais de câncer de pele. O melanoma, menos frequente e mais agressivo, pode se apresentar como novos sinais escuros, ocorrendo em áreas de pele mais expostas ao sol, como face, pescoço, braços e mãos. Sinais antigos podem evoluir para o melanoma e nesses casos observamos também alterações de tamanho, cor, forma e podem apresentar sangramento. Já o câncer de pele não melanoma são os mais frequentes, ocorrem em mais de 90% dos casos e apresentam-se como feridas que não cicatrizam, e, em geral sangram, também, localizando-se naquelas regiões do corpo mais expostas à radiação solar.

Para a dermatologista do HCP, Mecciene Mendes, a orientação é procurar um médico assim que perceber um sinal (ou pinta) suspeito, com crescimento mais rápido que o normal, com várias cores (furta-cor) ou lesões que sangram. As pessoas que têm parentes que já tiveram o câncer de pele devem estar mais atentas aos sinais e a essas alterações. “A chance de cura é muito alta, mas, é preciso que as pessoas procurem o médico com rapidez para a retirada cirúrgica ou tratamento com quimioterápicos ou medicações semelhantes de uso local, com o objetivo de aumentar as chances de cura e de evitar sequelas maiores. Pode ser necessário, além da cirurgia, tratamentos coadjuvantes como a radioterapia e a cirurgia reparadora de cicatrizes”, explica.

Após um mês inteiro de atividades e de diversas campanhas de conscientização ao câncer de mama, o último dia do Outubro Rosa no Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) foi marcado por várias atividades e muito, muito amor.

Atividades educativas e ações de sensibilização já estão marcando o Outubro Rosa no Recife. O Núcleo Especializado em Oncologia e Hematologia (Neoh) deu início a uma programação que reúne mais de 10 atividades até o dia 30. A campanha “Mova-se contra o câncer”, junto ao Hospital de Câncer de Pernmabuco e ao Imip, colocará em prática ações como oficinas de maquiagem e artesanato; flash mobs nos shoppings RioMar, Recife, Tacaruna e Plaza; arrecadação de donativos para o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) em academias da cidade e um simpósio sobre a doença. Haverá ainda, no dia 18, a 1ª Corrida Imip e Avon Contra o Câncer de Mama, com saída às 7h do Cais da Alfândega.

O HCP promove, na manhã desta sexta-feira (9), um momento de conscientização sobre Cuidados Paliativos, em alusão ao Dia Mundial dos Cuidados Paliativos, celebrado dia 5 de outubro. Com o tema “Dar mais vida aos dias”, o evento busca trazer conhecimento e maior compreensão acerca do trabalho e do tratamento de pacientes e familiares. Haverá palestras com os médicos Hélio Pinheiro e Fábio Malta sobre o alívio da dor e sobre a importância da espiritualidade. Terá também uma palestra sobre comunicação com a enfermeira Conceição Hander e haverá, ainda, uma quarta palestra, sobre como lidar com o luto, com a psicóloga Erika Barros. Tudo a partir das 8 horas da manhã.

O câncer é uma doença que ainda assusta muita gente e provoca muitos medos, por isso, é importante saber quais os primeiros passos que precisam ser dados para encarar a doença de maneira positiva e prática.

Inicialmente, é bastante importante que o paciente converse com o médico e tire todas as dúvidas sobre o tipo de câncer que possui e os possíveis tratamentos. Pesquise, mas saiba que nem tudo o que se lê por aí, no Google e em noticiários, é a verdade absoluta. Por outro lado, ouvir histórias de outros pacientes com câncer, além de ser uma troca muito positiva, também pode ser sinônimo de coragem para quem inicia o tratamento.

A descoberta do câncer quase sempre é um choque para o paciente e para a família. Por ser uma doença ainda mistificada, rodeada de medos e de preconceitos, para algumas pessoas, o fato de ter um possível diagnóstico de câncer já gera uma enorme inquietação, que se não for controlada, dificultará no tratamento.

Começou na tarde de ontem (24) a II Jornada Integrativa de Nutrição e Psicologia promovida pelo Hospital de Câncer de Pernambuco. 

O evento acontece em comemoração ao dia do Psicólogo e do Nutricionista, que são celebrados nos dias 27 e 31 de agosto, respectivamente. Para celebrar estas datas, os serviços de Psicologia e Nutrição do HCP montaram uma semana inteira de ações assistenciais e educacionais para os colaboradores, estudantes e pacientes. 

Para ser atendido no HCP, existem duas formas. No caso de paciente que necessite de atendimento nas especialidades de Cabeça e Pescoço ou Neurocirurgia, é preciso que o seu médico de origem encaminhe o pedido à Secretaria de Saúde do seu município e, de lá mesmo a sua consulta será marcada, independentemente se paciente resida no interior ou na Região Metropolitana do Recife.

Para a OMS, o tabagismo é uma doença: trata-se de uma dependência à droga nicotina, presente em qualquer derivado do tabaco, seja cigarro, cigarrilha, charuto, cachimbo, cigarro de palha, fumo de rolo ou narguilé. Após ser absorvida, a nicotina atinge o cérebro e libera substâncias químicas para a corrente sanguínea que levam a uma sensação de prazer e bem estar. Por isso, torna-se facilmente uma prática viciante.

O Dia Mundial Sem Fumo – 31 de maio – foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar a população acerca das doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo, como o câncer de pulmão, de cabeça e pescoço, laringe e boca. O câncer de pulmão, por exemplo, é um dos mais mortais no mundo todo. Segundo estimativas da OMS, cerca de um milhão e setecentos mil casos novos deste tipo de câncer são diagnosticados anualmente, com alto índice de óbito.