Em Brasília, HCP pleiteia celeridade no repasse de aditivo financeiro para a compra de Acelerador Linear - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Em Brasília, HCP pleiteia celeridade no repasse de aditivo financeiro para a compra de Acelerador Linear

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

aceleradorlinear.jpeg

Na última terça-feira (25), a equipe de Convênios e Projetos do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) esteve em Brasília para cumprir uma agenda no Ministério da Saúde – pleitear celeridade no aditivo financeiro de cerca de R$ 2 milhões de reais para a compra de um Acelerador Linear. O equipamento de radioterapia seria adquirido através de emenda parlamentar individual de R$ 5 milhões destinados pelo deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), mas, devido à alta do dólar, o preço do aparelho subiu para mais de R$ 7 milhões, impossibilitando a compra.

A gerente de projetos e convênios do HCP, Patrícia Menezes, esteve em Brasília com esse apelo e foi recebida pelo chefe de gabinete do Ministro Marcelo Queiroga, Carlos Henrique, que vai repassar a importância do pedido à Queiroga. Ainda estavam presentes o Presidente dos Progressistas no Recife, Lula da Fonte; o presidente do IPA, Kaio Maniçoba; o secretário de Governo de Floresta, Dário Novaes Ferraz; o secretário de Produção Rural, Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Floresta; Betinho Numeriano, e o deputado federal Eduardo da fonte.

No mês de março deste ano, Patrícia Menezes também esteve em Brasília, acompanhada pelo deputado Eduardo da Fonte, onde Queiroga sinalizou que a pasta irá complementar o valor. Agora, o grupo pede celeridade no repasse, um pleito que mudará a vida dos pacientes com câncer do estado de Pernambuco.

Atualmente, o hospital possui um equipamento próprio de cobalto, fabricado em 1963, e outro acelerador linear alugado. Mesmo nessas condições o HCP atua como duas Unidades de Assistência de Alta Complexidade (UNACONS) em radioterapia, o que significa que atende uma quantidade de pacientes referente a dois hospitais de grande porte. Em 2020, por exemplo, foram realizados 2.079 procedimentos com o acelerador linear, o que representa uma atuação de 173% da meta pactuada com o estado. Com o novo equipamento, o Hospital do Câncer vai expandir o atendimento de pacientes em tratamento.