Saiba tudo sobre a Quimioterapia

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

Antes de falar sobre a Quimioterapia, é preciso entender o que é o câncer e como ele atua no nosso organismo. Todos nós somos formados de tecidos que, por sua vez, são formados por células. Elas crescem e morrem naturalmente, de maneira regular. De maneira genérica, o câncer é o que chamamos quando há uma alteração no crescimento dessas células, de maneira desordenada, podendo atingir tecidos e também órgãos do nosso corpo.

destaque.jpg

E onde entra a Quimioterapia? Para tentar driblar esse crescimento de células não sadias, o médico pode orientar o paciente a tomar a quimioterapia, que é o medicamento do paciente de câncer. Em geral, ele entra pela corrente sanguínea e se mistura pelo nosso corpo, destruindo as células doentes que estão formando o tumor. Claro que existem vários tipos de tratamentos diferentes e, portanto, cada paciente vai realizar a quimioterapia conforme orientação do seu oncologista.

Existem algumas outras formas de tomar a quimioterapia, além da intravenosa. Os quimioterápicos podem ser comprimidos, intramusculares, subcutâneos, intratectal (pela espinha dorsal) e tópico (pomadas sob a pele).

As indicações são variadas, porém, o mais comum são três tipos principais: a adjuvante, a neoadjuvante e a paliativa. A adjuvante é a quimioterapia indicada após a cirurgia, com a intenção de evitar que a neoplasia volte a crescer no organismo. A neoadjuvante tem a intenção de diminuir o tumor e assim atender à cirurgia de maneira mais enfática. Já a paliativa serve para aliviar os sintomas dos pacientes terminais.

 

qt17.png

 

Principais dúvidas:

A vida do paciente precisa mudar? Não necessariamente. O paciente pode realizar praticamente todas as atividades, se estiver se sentindo bem. Porém, é comum nos primeiros dias da quimioterapia que haja uma necessidade maior de descanso.

As atividades sexuais podem ser mantidas? Claro! Mas o paciente deve estar atento a algumas questões importantes. Primeiro, a camisinha deve ser utilizada para a prevenção de infecções, no caso de imunidade baixa, e também para evitar que o medicamento seja passado para o parceiro por conta dos fluidos sexuais. O paciente deve prestar atenção ao seu próprio corpo, porque a quimioterapia pode alterar a menstruação, os hormônios e causar disfunções sexuais. A paciente mulher deve conversar com seu médico se tiver o desejo de ter filhos, pois a gravidez deve ser evitada.

Meu cabelo vai cair? O cabelo pode cair todo ou parcialmente, na segunda semana do tratamento. Mas, assim que o tratamento terminar, ele voltará a crescer normalmente. Enquanto isso, a paciente pode experimentar perucas, lenços etc.

Que outros sintomas podem ocorrer? Diarreia, prisão de ventre, enjoo, feridas na boca, alteração na pele e nos hábitos alimentares. Esses são alguns dos sintomas que podem vir a ocorrer durante o período que o paciente está recebendo a quimioterapia. Mas não quer dizer que todos os pacientes vão tê-los. O paciente deve conversar com o médico ou o nutricionista para verificar opções que dispersem esses sintomas enquanto o tratamento é realizado. Comer alimentos de fácil digestão como bolachas de água e sal, torradas e gelatinas, é uma forma de prevenir náusea e não machucar o estômago. E nunca hesite em pedir ajuda aos amigos e parentes.

qt18.png

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redes Sociais