Tipos de câncer

O que é câncer ósseo

Noticia-site.png

Um tipo raro de câncer, com alto índice de mortalidade e sem formas de prevenção: essa é a principal descrição do tumor ósseo, doença que representa apenas 2% do total de cânceres diagnosticados. Atingindo majoritariamente crianças, adolescentes e idosos, o câncer ósseo é uma doença que se manifesta, principalmente, através de um sinal: a dor. O diagnóstico precoce é a melhor forma de garantir um tratamento positivo.

Embora seja considerado raro, o tumor ósseo é uma realidade. Somente em 2016, por exemplo, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu cerca de 750 novos pacientes com tumores ósseos e realizou mais de 4,5 mil consultas e de 800 cirurgias em pessoas portadoras desse tipo de câncer. Atualmente, o setor de Ortopedia Oncológica do HCP é responsável por 30% das cirurgias oncológicas em pacientes portadores de tumores ósseos em todo o Estado.

Entre os tumores primários, como são chamados aqueles que nascem dentro do próprio osso, o osteossarcoma, o sarcoma de Ewing e o condrossarcoma são os mais comuns. Os dois primeiros, mais agressivos, são encontrados em crianças e adolescentes, especialmente na área ao redor do joelho. “Não se sabe bem o porquê, mas acredita-se que seja por causa do potencial de crescimento que existe nessa faixa etária”, explica o ortopedista oncológico do Hospital de Câncer de Pernambuco, dr. Marcelo Souza.

O condrossarcoma, por sua vez, é comum em adultos e costuma atingir a área da bacia. Adultos e idosos, no entanto, são mais acometidos por tumores metastáticos, ou seja, que são oriundos de outros tipos de câncer. “É muito comum haver mulheres com câncer de mama e metástase no osso ou pessoas com câncer de pulmão e metástase no osso. Esse tipo de tumor metastático faz parte da rotina das pessoas da terceira idade”, frisa o médico.

O ortopedista oncológico alerta, ainda, que o diagnóstico precoce é a melhor forma de garantir resultados positivos para o paciente, como o aumento da sobrevida e a cura. Para isso, é preciso ficar atento a dor constante, que é o principal sintomas do câncer ósseo. “As pessoas que têm o diagnóstico precoce têm chances de cura duas ou três vezes maior do que os pacientes que chegam tardiamente. O diagnóstico tardio também aumenta a mutilação e diminui a sobrevida”, orienta. Fadiga, perda de peso e fraturas são outros sinais que devem ser observados.

PEDALA HCP

Para chamar a atenção da população pernambucana para a existência do câncer ósseo, o Hospital de Câncer de Pernambuco está promovendo o 3º Pedala HCP. Marcado para o dia 9 de abril, a partir das 8h, o passeio ciclístico terá o Cais da Alfândega como ponto de partida e chegada. As inscrições podem ser feitas presencialmente, no próprio hospital e no Quiosque Ingresso Prime (Shopping Tacaruna), ou por meio do site hcp.org.br/pedala. Todo o dinheiro arrecadado com o evento será revertido para o HCP.

Saiba tudo sobre a Quimioterapia

Antes de falar sobre a Quimioterapia, é preciso entender o que é o câncer e como ele atua no nosso organismo. Todos nós somos formados de tecidos que, por sua vez, são formados por células. Elas crescem e morrem naturalmente, de maneira regular. De maneira genérica, o câncer é o que chamamos quando há uma alteração no crescimento dessas células, de maneira desordenada, podendo atingir tecidos e também órgãos do nosso corpo.

Saiba tudo sobre o câncer de fígado

O câncer de fígado é uma doença de tratamento difícil que requer uma equipe multidisciplinar. Atinge cerca de 600 mil pessoas todos os anos. Ele pode ser originado inicialmente no fígado, geralmente relacionado a cirrose ou, secundário, que é relacionado com cânceres primários de outros órgãos e que acometem o fígado secundariamente. Dentre estes, o câncer de intestino é um dos mais frequentes. 

O fígado precisa de atenção especial porque o maior problema está no diagnóstico precoce, visto que, muitas vezes, não há sinais no início da doença. “O mais importante é saber que existe tratamento que visa a cura e o resgate da qualidade de vida dos pacientes, lembrando sempre que o diagnóstico precoce é a chave para o sucesso do tratamento”, explica o médico Cesar Henrique Lyra, especialista em cirurgia hepática do Hospital de Câncer de Pernambuco.

Alguns  sinais sugestivos de doença no fígado são icterícia (pele amarelada), “água na barriga”, perda de peso significativa e fadiga. Quando presentes, podem significar doença em estágio mais avançado. 

O que é câncer colorretal?

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer colorretal abrange tumores que acometem um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto. Na maioria das vezes, este tipo de câncer é tratável e curável se for detectado precocemente. Os primeiros sinais apresentam-se geralmente a partir de pólipos ou lesões que podem crescer na parede interna do intestino grosso. A principal maneira de prevenir o aparecimento dos tumores é a detecção e a remoção dos pólipos antes de eles se tornarem malignos.

Somente para este ano, o Inca estima que 34.280 pessoas no Brasil sejam diagnosticadas com a doença. Por isso, apesar de pouco comentado, este tumor precisa também de um alerta e atenção de toda a sociedade, até porque a doença, no seu estágio inicial, não apresenta sintomas. Quando há sangramento ou dor abdominal forte, a doença já está avançada e as chances de cura são menores. Para se ter uma ideia, somente no ano passado, foram realizadas 180 cirurgias de câncer colorretal no Hospital de Câncer de Pernambuco. Este tipo de câncer é o terceiro mais frequente entre as mulheres e o quarto em frequência entre os homens.

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

FNQ logo

Redes Sociais