Destaque Inferior

Notícias quem ficam no destaque inferior da página inicial

Médico boliviano é recepcionado no HCP

aparicio2.JPG

Mais de cinco mil quilômetros separam as cidades de Recife e de La Paz, na Bolívia. A distância, no entanto, não foi um empecilho para que o dr. Aparício Flores viesse para o Brasil em busca de conhecimento. Há pouco mais de um mês, o ortopedista boliviano desembarcou na capital pernambucana e chegou ao Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) com um único objetivo: estudar no Serviço de Ortopedia Oncológica da instituição, considerado referência no Nordeste.

Formado há 12 anos pela Universidade Maior de San Andrés, na capital boliviana, dr. Aparício atua no Hospital Materno Infantil de La Paz. Lá, todos os meses, recebe novos pequenos pacientes com tumores. Como não há ortopedistas especializados em oncologia na cidade, que concentra mais de 1,5 milhão de habitantes, a amputação de membros acaba sendo o único tratamento possível para os pacientes. E é justamente essa realidade que dr. Aparício quer modificar. “Eu acredito que existem outras opções”, enfatiza.

Em uma carta enviada para a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), dr. Aparício expressou sua vontade de vir para o Brasil estudar ortopedia oncológica. O pedido chegou ao coordenador do serviço de Ortopedia Oncológica do HCP, dr. Marcelo Souza. Com o aval da instituição, o médico boliviano está cursando, desde junho, um Estágio de Especialização. Em meados de 2018, dr. Aparício retornará para a Bolívia com uma declaração em mãos, explicando tudo que aprendeu aqui.

Durante esse tempo, ele irá acompanhar toda a rotina do serviço, desde os atendimentos ambulatoriais até as cirurgias, e poderá aprender com os seus colegas de profissão e com os profissionais da equipe multiprofissional. “Com essa experiência, ele irá mudar a história da Ortopedia Oncológica de La Paz. Nós temos o prazer de colaborar”, ressalta dr. Marcelo.

Dr. Aparício diz que a infraestrutura oferecida pelo HCP para os pacientes de câncer ósseo fez com que, mesmo em pouco tempo, ele já tenha aprendido muito sobre o manejo dos pacientes, as práticas clínicas e o tratamento oncológico. “Em La Paz, não temos nenhum leito destinado exclusivamente para os pacientes com câncer. Como podemos aprender dessa forma? Aqui, são quinze leitos e vários pacientes, todos os dias”, pontua.

A escolha de vir para o Brasil, no entanto, não foi uma decisão fácil. Além do calor do Recife e da diferença entre os idiomas, o médico de 46 anos tem um desafio maior para enfrentar: a distância da família, que ficou na Bolívia. Casado e com três filhas pequenas – a menor tem apenas um ano de idade, nasceu aos cinco meses de gestação e precisa de cuidados médicos diários –, o médico boliviano precisar lidar com a saudade de casa. “A coragem de vir para o Brasil veio de Deus. A minha única motivação é a vontade de aprender. Quero ajudar os meus pacientes de alguma forma”, finaliza.

 

 

Associação Câncer Boca e Garganta conhece o HCP

associacao.JPG

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu, na manhã desta segunda-feira (17), a visita de representantes da Associação Câncer Boca e Garganta (ACBG), organização não governamental que atua em prol dos pacientes de tumores de boca e garganta. Fundadores e voluntários da associação, a ex-paciente de câncer de laringe, Melissa Medeiros, e seu filho, Gabriel Marmentini, saíram de Santa Catarina e seguem em campanha conhecendo os hospitais de referência e centros especializados no tratamento de câncer em todas capitais do Brasil – cerca de 40 unidades de saúde no total.

As visitas são parte do projeto Rede+Voz, cujo objetivo é promover a inclusão, a disseminação de informação e a aproximação das instituições de tratamento oncológico no País. No HCP, o grupo conheceu os serviços de Nutrição, Psicologia, Odontologia, Fonoaudiologia e Cabeça e Pescoço. A coordenadora do serviço de Fonoaudiologia do HCP, Roberta Borba, acompanhou toda a visita. “É uma mobilização nacional com hospitais de referência que atendem esse tipo de câncer, e, para integrar as ações com esses centros, nós abrimos as portas do nosso serviço”, explicou.

 

 

Reunião apresenta a formalização e inovação dos processos em unidades do HCP Gestão

filipe-bitu.JPGO superintendente do HCP Gestão, Filipe Bitu, apresentou inovações que serão adotadas em processos administrativos

Na última sexta-feira (30), o superintendente do HCP Gestão, Filipe Bitu, reuniu gestores do Hospital da Mulher do Recife para apresentar as próximas inovações a serem adotadas em processos administrativos e de serviços. Os processos contemplam todas as unidades administradas pelo HCP Gestão: Hospital da Mulher e UPAEs do Arruda, Belo Jardim e Arcoverde. A diretora geral do HMR, Isabela Coutinho, e a coordenadora da UPAE do Arruda, Adriana Bezerra, também participaram do encontro.

Filipe Bitu iniciou a apresentação com um breve histórico da Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer, ao qual estão vinculados o Hospital de Câncer de Pernambuco e o HCP Gestão. Entidade privada sem fins lucrativos, o SPCC se qualificou como OS de Saúde em 2014. O superintendente aproveitou para explicar como funcionam as Organizações Sociais (OS), entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, voltadas para atividades de relevante valor social.

 

Em seguida, relatou os compromissos assumidos pelo HCP Gestão, como OS. “Temos metas para a realização dos serviços e para a qualidade dos serviços prestados”, afirmou, entre outros detalhes. Para a excelência da gestão, destacou quatro pilares de sustentação: responsabilidade jurídica, qualidade, inteligência e sustentabilidade. Filipe Bitu elogiou o comprometimento das equipes e demonstrou confiança na implantação dos processos. 

 

UPAE Arruda celebra um ano de atividades

upae-arruda.jpg

O primeiro ano de funcionamento da UPAE do Arruda foi celebrado, na última sexta-feira (30), em evento festivo na própria unidade. A cerimônia foi simples, mas marcada pela emoção. Funcionários e gestores se reuniram para o corte do bolo e depoimentos. “Este é um momento sobretudo de agradecimento a essa equipe tão valorosa”, enfatizou Adriana Bezerra, coordenadora geral da UPAE. “São muitos os desafios, mas estamos conseguindo superar todos, levando para os usuários um serviço de qualidade e humanizado”, completou Filipe Bitu, superintendente do HCP Gestão, organização social responsável pelo gerenciamento da unidade.

 

 

O evento foi prestigiado pela diretora geral do Hospital da Mulher, Isabela Coutinho. O vereador Antonio Luiz Neto também participou. “É uma honra o fato do meu pai, Antonio Luiz Filho, levar o nome desta unidade. Estou orgulhoso do que vocês estão construindo aqui”, afirmou. Representando os usuários da UPAE, a aposentada Geruza Francisca de Souza Chaves, 65 anos, elogiou o serviço. “Eu me consulto com reumatologista, psicólogo, fisioterapeuta e terapeuta ocupacional. Eles, e todos aqui, me tratam muito bem. Aqui é nota mil”, elogiou. 

 

HCP recebe doação de antenas e conversores digitais

visita-anatel0.JPG

A televisão instalada em um dos quartos da Enfermaria Santa Faustina, no Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), é uma boa companhia para Fabiana Andrade. Enquanto se recupera de uma cirurgia na mama, ela se distrai assistindo às imagens, que agora estão mais nítidas. A cena se repete nas enfermarias, nos ambulatórios e nas áreas comuns do HCP. O motivo? A instalação de conversores digitais e de antenas nos aparelhos, doados pela Seja Digital e pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em parceria com a Rede Globo Nordeste, oficializada durante visita realizada na última sexta-feira (30).

No total, foram doados 80 conversores digitais e 140 antenas, que foram instalados voluntariamente pela equipe técnica da Rede Globo Nordeste. Além disso, também foram doados sete novos aparelhos de televisão. “Essa doação irá fazer muita diferença para o HCP e mostra como o nosso trabalho está sendo visto pela sociedade civil. Com ações como essa, quem agradece são os nossos pacientes que, por vezes, estão enfrentando uma realidade muito difícil. Estamos muito gratos”, reforçou o superintendente geral do HCP, dr. Hélio Fonsêca. Todo o processo de doação foi intermediado pela Rede Globo Nordeste.

visita-anatel2.JPGPresidente da Anatel, Juarez Quadros, ao lado do superintendente Geral do HCP, Hélio Fonsêca

A entrega dos aparelhos ocorreu quase um mês antes do desligamento do sinal analógico no Recife, que deverá ocorrer no dia 26 de julho. “Nossa proposta é inserir o Brasil no sinal digital, mas na hora que nos inserimos aqui no HCP, nosso projeto ganha outra dimensão”, comentou o presidente da Anatel, Juarez Quadros. “Essa doação é o mínimo que podemos fazer para agradecer pelo trabalho que o HCP faz”, concordou Antônio Carlos Martelletto, presidente da Seja Digital, entidade responsável pela migração do sinal analógico para o digital.

visita-anatel4.jpgAntônio Carlos Martelletto, presidente da Seja Digital, e Juarez Quadros, presidente da Anatel

visita-anatel1.JPG

 

 

 

Hospital da Mulher promove pintura corporal em grávidas

arte-gestacional1.JPG

Uma saúde cada vez mais humanizada e um atendimento médico de excelência. Esses princípios, que regem a atuação do HCP Gestão, estão presentes em todas as unidades de saúde administradas por essa Organização Social. Por isso, o Hospital da Mulher do Recife, gerido pelo HCP Gestão, inova ao implantar a chamada Arte Gestacional, uma técnica de pintura na barriga para grávidas, prática que vem ganhando adeptos em todo o mundo, como um ritual de despedida da gravidez.

No Hospital da Mulher do Recife, em Pernambuco, essa pintura é específica da imagem do bebê dentro do útero da mãe. Dessa forma, a ideia é que os dois se conectem emocional e fisicamente, momentos antes do nascimento. "A ação está inserida nas ações de humanização do parto, filosofia adotada na unidade", explica o superintendente geral do HCP Gestão, Filipe Bitu.  

A pintura é feita por um grupo de enfermeiras obstétricas do Centro de Parto Normal (CPN) da maternidade do HMR. São convidadas a participar as mães que estão no final da gestação e também aquelas que estão em trabalho de parto inicial. A ação começa com apalpação, chamada de Manobra de Leopold, que identifica a posição do bebê no útero. A partir daí, usando molde e tintas atóxicas para a pele, as enfermeiras desenham o bebê na posição em que ele se encontra na barriga da mãe. A pintura melhora a interação da mãe com o bebê e também com a equipe que vai fazer o parto. "É um método de relaxamento e indução", afirma dra. Isabela Coutinho, diretora geral do HMR.

A Arte Gestacional, além de cores, enche de alegria e emoção o ambiente, preparando e acalmando a mulher para o nascimento da criança. Foi assim com Rebeka Barbosa Lacerda, 23 anos. No Hospital da Mulher, ela deu à luz seu quinto filho. Pietro nasceu saudável, de parto normal, pesando 2.976 Kg e medindo 47 cm. Quando deu entrada na unidade, Rebeka recebeu o convite para ter a arte pintada na barriga e aceitou na hora. "Foi a primeira vez que eu participei e gostei muito. Vai ser uma lembrança para o resto da minha vida e do meu filho, já que as enfermeiras me enviaram as fotos", comemorou.

arte-gestacional2.JPG

Humanização - O Hospital da Mulher do Recife tem como filosofia o parto humanizado, onde a mulher é protagonista da forma como ela quer ter o filho, levando em conta sua condição de saúde. A ideia é deixar o parto transcorrer da forma mais natural possível, contando com o apoio de profissionais habilitados e equipamentos específicos.

Todos os profissionais do centro são treinados para propiciar um ambiente humanizado de parto e nascimento, nos moldes recomendados pela Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde. Equipamentos como bola, banqueta e cavalinho são utilizados para ajudar no pré parto, dar maior conforto para a mulher e auxiliar no alívio da dor. 

Também são empregadas técnicas como banho e/ou imersão em água morna, massagens, aromaterapia e mudanças de posição. A unidade possui uma banheira que propicia o parto dentro da água. Os equipamentos e as técnicas são utilizados de acordo com a escolha de cada mulher, de como ela se sente mais à vontade e com menos dor.

Durante o parto, a gestante tem direito a estar acompanhada por duas pessoas, além de contar com o apoio da equipe de saúde. A vivência conjunta da família no nascimento da criança, em geral com a participação do companheiro, reforça o relacionamento do casal. O parto natural oferece, de acordo com os especialistas, menor risco de sangramento, de infecções e outras complicações, em comparação com a cesárea.

Além do Hospital da Mulher do Recife, o HCP Gestão também administra outras três unidades de saúde no Estado: a UPAE do Arruda, a UPAE de Belo Jardim e a UPAE de Arcoverde. "O modelo que estamos implantando nas unidades de saúde gerida por nós visa garantir um atendimento médico de alta qualidade, aliado aos cuidados especiais com nossos pacientes dentro da filosofia da humanização na saúde", atesta Filipe Bitu.

arte-gestacional3.JPG

 

UPAE Arruda celebra um ano de atividades com 171.484 atendimentos

upae-arruda.JPG

Na próxima sexta-feira (30), a UPAE Arruda completará um ano de funcionamento. No período, foram realizados 171.484 atendimentos, entre consultas, exames e sessões de fisioterapia. “Chegamos nessa data com resultados positivos tanto em quantidade, como em qualidade dos serviços”, destaca a coordenadora geral da unidade, Adriana Bezerra. Na ocasião, haverá uma solenidade comemorativa, a partir das 14h, na própria unidade. O secretário de Saúde do Recife, Jaílson Correia, e o superintendente de gestão do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), Filipe Bitu, participarão da solenidade. O HCP é responsável pela gestão da unidade.

Em seu primeiro ano, a UPAE Arruda realizou 21.468 consultas médicas, 30.860 consultas não médicas, 10.353 sessões de fisioterapia e 108.803 exames de apoio diagnóstico (imagem + laboratório).

Serviços - A UPAE conta com assistência de saúde médica e não médica. Entre as especialidades oferecidas estão Reumatologia, Endocrinologia, Cardiologia, Neurologia, Nefrologia, Psiquiatria, Urologia, Pneumologia E Ortopedia; além dos serviços de apoio diagnóstico, como Ergometria, Ecocardiograma , Raio–X, Ultrassonografia, Eletrocardiograma, Colonoscopia e Endoscopia Digestiva. 

HCP recebe doação de alimentos da Abraginforh

visita-abraginforh.JPG

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu, na manhã desta terça-feira (27), a visita de representantes da Associação Brasileira dos Grupos Informais de RH (Abraginforh). Juntos, o presidente e a vice-presidente da associação, Eliabe Serafim e Danielle Muniz, realizaram a doação de 50 quilos de alimentos para o hospital, arrecadados durante o último evento promovido pela Abraginforh, no dia 17 de junho. A parceria da Abraginforh com o HCP começou há dois anos e, desde então, a associação realiza doações recorrentes de alimentos para o hospital. “Essa parceria é muito importante para nós, porque mostra o quanto a sociedade civil se importa com o Hospital de Câncer”, agradeceu a gerente de Projetos do HCP, Milene Dantas. 

São João alegra Enfermaria São Lucas

SJ-SaoLucas3.JPG

Um clima diferente tomou conta do 1º andar da Enfermaria São Lucas na manhã da última quinta-feira (22). Em homenagem aos festejos de São João, pacientes, acompanhantes e profissionais participaram de uma festa junina, com direito a forró, comidas típicas e muita animação. A diversão, aliás, se espalhou por outros setores do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) e alegrou todos os presentes.

A festa junina, idealizada pela própria equipe do HCP, começou com um grande arrastão de forró, que ganhou os corredores do Hospital-Dia, do São Lucas Térreo, do Refeitório, da Radioterapia e da Enfermaria Anjo Rafael. As integrantes do Espaço Renascer, convocadas para participar da festa, esbanjaram energia e durante todo o percurso. “Esse é o melhor cachê que recebemos: fazer o bem faz bem”, disse o cantor Bruno Flor de Lótus.

Já de volta ao 1º andar, um casamento matuto e uma quadrilha improvisada alegraram o corredor principal da Enfermaria. Enquanto os pacientes assistiam a tudo, emocionados, alguns acompanhantes aproveitaram para entrar na dança. Foi o caso de Tânia Peixoto, que estava acompanhando seu esposo, internado há quinze dias. “Adorei, porque agora já estamos aproveitando o São João. É o mesmo que estar lá fora”, comentou.

Coordenadora da Enfermaria de Cuidados Paliativos, a enfermeira Roberta Farias agradeceu a presença de todos. “A sensação de trabalhar com esses pacientes é gratificante. Com ações como essas, podemos trazer para eles a lembrança do processo de viver”, opinou. “Sempre é uma boa oportunidade lembrarmos essas datas comemorativas, especialmente no caso do São João, por ser uma festa significativa para os pernambucanos”, concluiu o superintendente Técnico do HCP, dr. Fábio Malta.

SJ-SaoLucas1.JPG

SJ-SaoLucas2.JPG

SJ-SaoLucas4.JPG

 

Residente do HCP vence primeira fase da Gincana Virtual de Oncologia

fotosite.JPG

O médico Marcos Nogueira, residente em Oncologia Clínica do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), venceu a primeira fase da segunda edição da Gincana Virtual de Oncologia. Organizada pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), a gincana reúne médicos residentes de todo o País e oferece um treinamento virtual sobre o diagnóstico e o tratamento multidisciplinar de pacientes oncológicos. Dr. Marcos, que está em seu último ano de residência, é o único representante do HCP na competição. O resultado da fase foi divulgado no fim de maio.

A edição deste ano da Gincana Virtual de Oncologia começou em abril e, quinzenalmente, apresenta um novo caso clínico. A cada dois meses, após a finalização de quatro casos, é anunciado o vencedor do bloco. Até o fim da gincana, em setembro, os residentes terão avaliado 12 casos, divididos em três blocos. O melhor colocado de toda a competição ganhará um pacote completo para participar, em 2018, do encontro anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO, na sigla em inglês).

Formado na Universidade de Pernambuco e com residência em Clínica Médica pelo Hospital Getúlio Vargas, dr. Marcos destacou que a competição é uma forma de aprimorar os conhecimentos, uma vez que incentiva a busca pela melhor solução para casos. “A gincana nos estimula com situações que são vivenciadas no cotidiano”, explicou. Para ele, a residência no HCP colaborou para o bom resultado. “O dia a dia, as discussões, os seminários também nos ajudam a adquirir conhecimentos, mas estudamos principalmente para oferecer o melhor tratamento para os pacientes”, enfatizou. Como prêmio, o médico ganhou um pacote completo para participar do Congresso SBOC 2017.

Preceptor do Serviço de Oncologia Clínica do HCP, o médico Felipe Marinho acredita que o desafio gerado pela gincana permite o desenvolvimento do raciocínio clínico para pacientes oncológicos. “A oncologia é uma especialidade extremamente dinâmica e essa estratégia faz com que o residente fique em frequente aprimoramento, além de permitir o surgimento de dúvidas que podem ser discutidas nos próprios serviços de origem”, comentou.

 

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redes Sociais