Destaque Inferior

Notícias quem ficam no destaque inferior da página inicial

Orquestra Criança Cidadã emociona pacientes do HCP

Orquestra-Crianca-Cidada-Novembro-13.JPG

Os corredores do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) foram preenchidos pelos sons harmônicos de violinos e violas no dia 16 de novembro. As músicas vieram dos instrumentos de integrantes da Orquestra Criança Cidadã, que visitaram e emocionaram os pacientes de setores como Urgência, Ambulatório, Triagem e Quimioterapia. Esta é a segunda vez que o projeto Música para Todos transforma a rotina do HCP.

Emoção, aliás, foi a palavra de ordem durante as apresentações. Na Urgência, a paciente Ivonete dos Santos pediu aos músicos que homenageassem seu marido, José Lima, com a música Como é grande o meu amor por você. “Completamos cinco anos de casados este mês e agora estamos aqui no hospital. Eu queria dizer que ele é um anjo, meu único amor”, declarou Ivonete.

O repertório da ação incluiu composições nacionais como Asa Branca e Carinhoso, além de clássicos como Por una cabeza, de Carlos Gardel. Por onde passaram, os músicos arrancaram aplausos dos pacientes. Na Quimioterapia, Janete Pires teve a possibilidade de conhecer a música erudita pessoalmente. “Eu só tinha visto pela televisão. É lindo, não tem como não gostar”, afirmou. 

Parceria desenvolvida entre o Grupo EBRASIL e a Orquestra Criança Cidadã, o Música para Todos realiza, desde 2015, apresentações culturais no Recife e na Região Metropolitana. Hospitais, casas de acolhimento e complexos prisionais são exemplos de espaços beneficiados com a ação. “O nosso objetivo é levar música e cultura para pessoas que não tem acesso, como os pacientes que estão internados. Sempre recebemos retornos positivos das pessoas”, explicou a responsável pelo setor de Responsabilidade Social da EBRASIL, Marília Simas.

Orquestra-Criança-Cidadã-Novembro-(10).JPG

 

Orquestra-Criança-Cidadã-Novembro-(2).JPG

 

 

HCP recebe doação de cadeiras de rodas

HCP-recebe-cadeiras-de-rodas.jpg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu, no dia 1º de novembro, mais uma doação que irá melhorar a rotina dos seus atendimentos. Dessa vez, a Vip Saúde doou dez cadeiras de rodas, que serão utilizadas na locomoção interna dos pacientes do hospital, seja para consultas ou para a realização de exames. A doação é resultado de uma ação realizada pela página da empresa no Facebook durante a 4ª edição da Hospitalmed, maior feira hospitalar do Norte-Nordeste, realizada entre os dias 17 e 19 de agosto, no Centro de Convenções, em Olinda. 

Batizada de “Seja um Solidário Vip”, a campanha previa a doação de uma cadeira de rodas para o HCP a cada 500 curtidas ou 300 compartilhamentos de uma postagem no Facebook, sendo dez cadeiras de rodas a quantidade máxima a ser doada. Em 48 horas, o post contabilizou mais de 200 mil visualizações, além de ter somado mais de 8 mil curtidas e compartilhamentos.  

Proprietária da Vip Saúde, Patrícia Sampaio explicou que a empresa pernambucana é uma parceria comercial do HCP e que também já colaborou com outras doações para o hospital. “Essa campanha, no entanto, está sendo a mais intensa. O HCP faz um trabalho fantástico com a população pernambucana, especialmente com os mais carentes e, apesar de toda a crise, continua firme e forte”, ressaltou a empresária.  

Para a superintendente Administrativa do HCP, Cláudia Barbosa, essa doação irá cooperar para melhorar os mais de 1,2 mil atendimentos que são feitos diariamente no HCP. “Isso faz uma diferença enorme para a mobilidade dessas pessoas. Essas doações devem ser continuadas”, reforçou. 

Empresa do setor alimentício realiza ação no HCP

sorvete.JPG

A manhã desta segunda-feira (17) teve um sabor diferente no jardim do Ambulatório do Hospital de Câncer de Pernambuco. Representantes da empresa Multimix Distribuidora realizaram uma distribuição gratuita de sorvetes para pacientes, acompanhantes e funcionários do HCP. Ao todo, 2 mil sorvetes, cedidos pela empresa Ourolac (mesma fornecedora das lanchonetes Bob’s e Girafa’s), foram oferecidos. Essa é a primeira vez que a Multimix realiza esse tipo de ação no Hospital de Câncer; segundo a representante da marca Ana Paula Sobral, “a empresa pretende oferecer esse trabalho ao menos uma vez por ano”.

 

HCP recebe novos equipamentos para Centro Cirúrgico e UTI

equipamentos (3).JPG

 

 

O Hospital de Câncer de Pernambuco recebeu na manhã desta quarta-feira (19) 26 novos equipamentos para o Centro Cirúrgico e  UTI. Eles chegaram através de emendas parlamentares de seis diferentes deputados, totalizando a verba de R$ 1 milhão para a compra dos equipamentos. Todos já foram encaminhados para a utilização.

Segundo dr. Hélio Fonseca, superintendente geral do HCP, os benefícios serão muitos, desde a melhoria do conforto dos pacientes até o aumento de número de cirurgias em vídeos, o que ajuda também na qualidade do serviço cirúrgico. Dra. Christine Miranda, coordenadora do Centro Cirúrgico, explicou que, apesar da média de cirurgias diárias continuar a ser 40, serão cerca de 25% mais cirurgias em vídeo, graças às novas torres de vídeo.

Na UTI, os 12 equipamentos são fundamentais para a vida dos pacientes internados. Destaque para os seis novos ventiladores pulmonares, que atuam na respiração mecânica com bastante segurança e conforto. Os equipamentos utilizados até hoje eram alugados e, com a devolução deles, haverá diminuição de custos para o próprio HCP.

O trabalho de captação desses valores foi realizado pela gerência de convênios e contou com a participação dos deputados Pastor Eurico, Gonzaga Patriota, Fernando Ferro, Jorge Côrte Real, Luciana Santos e Mendonça Filho, atual Ministro da Educação.equipamentos (1).JPG

equipamentos (2).JPG

 

Roda de conversa marca Dia Mundial dos Cuidados Paliativos

paliativos.JPG

Todos os anos é comemorado o Dia Mundial de Cuidados Paliativos no Hospital de Câncer de Pernambuco. Pensando nisso, nesta manhã, 13 de outubro, a equipe de Cuidados Paliativos realizou uma roda de conversas sobre o tema para orientar cuidadores e tirar dúvidas sobre cuidados com os pacientes. Depois, o grupo foi para o ambulatório e para a triagem, com o mesmo objetivo.

 

Segundo Conceição Hander, coordenadora do serviço, as pessoas associam tais cuidados ao fim da vida, mas, na realidade, trata-se de uma série de cuidados especiais a partir do diagnóstico de uma doença que ameace a vida. “Quanto mais cedo o paciente for inserido nos protocolos paliativos, mais chances de prolongar a vida sem sofrimento ele tem”, explica. “A família, nesse processo, é fundamental”.

 

Os cuidados são muito variados, mas a ideia central é humanizar ao máximo o tratamento. E em casa, quando possível, o ambiente tende a se tornar melhor. Por isso, Hander reforçou na conversa a importância da família também ser treinada para ficar atenta sobre como cuidar da maneira mais adequada. “O cuidador é indispensável para identificar dores e falta de ar. É a percepção desse familiar que nos ajuda na rotina médica, além de claro, ficar responsável, por exemplo, pela medicação, trocas de curativos, entre outras atividades, para dar conforto ao paciente”, finaliza.

 

 

 

Dia do Fisioterapeuta é comemorado com evento educativo

diafisioterapeutadois.jpg

Na última terça-feira (11), o Hospital de Câncer de Pernambuco realizou o Dia do Fisioterapeuta. O evento educativo foi voltado para pacientes, acompanhantes e demais profissionais de saúde do próprio HCP. Os temas das palestras foram escolhidos com o objetivo de auxiliar na melhor qualidade de vida dos pacientes. Luciana Mergulhão, coordenadora do serviço de Fisioterapia, destacou a importância de eventos como esse. "Atualizamos os nossos profissionais, repassamos conhecimentos para os nossos pacientes e acompanhantes e ainda confraternizamos", afirmou. A médica Fabiana Gonzaga abordou os cuidados para não trazer infecção para o ambiente hospitalar.

Já a fisioterapeuta Carina Paiva levantou questões básicas para a prevenção de quedas. “Precisamos ficar atentas não só na rua, mas principalmente em casa. O banheiro, por exemplo, é um ambiente bastante propício para que esses acidentes aconteçam”, afirmou. A fisioterapeuta também mostrou alternativas para tornar o ambiente mais seguro, como barras de apoio e tapetes antiderrapantes. Ainda durante a palestra, outras situações que acontecem no dia a dia e oferecem riscos à saúde foram levantadas pelas participantes, como ambientes mal iluminados, excesso de móveis e objetos no caminho, o tipo de calçado utilizado, entre outras. Ainda dentro da programação, foram discutidos os direitos do paciente com câncer, a importância da alimentação saudável e a ligação entre os fatores emocionais e a produção da voz. 

 

Dia das Crianças é comemorado no HCP

 “Em 2012 eu tive a oportunidade de viajar com uma amiga que havia sido diagnosticada com câncer. Foi aí que pude perceber o quão difícil é a luta contra essa doença e isso me sensibilizou bastante, de modo que eu queria fazer alguma coisa por essas pessoas”. Essa foi a motivação principal de Jeremias Germano, analista da Justiça Federal, que criou o Dia das Crianças mais Feliz no HCP. Pelo 5º ano consecutivo, alguns meses antes do Dia das Crianças, ele entra em contato com o Hospital para verificar as necessidades de doações e, então, programa uma manhã bastante animada para as crianças da instituição. Este ano, diante da necessidade de leite e suplementos alimentares, fundamentais na dieta dos pacientes, ele começou a se articular com seus colegas de trabalho, além de amigos e conhecidos, através do Facebook, para realizar a coleta dentro dos Fóruns de Justiça do Estado e depois entregar tudo num grande dia de festa, dia 11 de outubro.

Nesta manhã, além das doações de mantimentos, também foram arrecadados brinquedos, não só para os pacientes pediátricos, mas também para a creche São Domingos Sávio, localizada na Rua dos Casados (próxima ao HCP). Chegaram, ao todo, cerca de 150 brinquedos, 19 livros, 30 bonés, 26 lenços de cabeça, 150kg de leite em pó, 103 kg de suplemento alimentar, 39kg de doces, 192 fraldas, 100 pacotes de biscoitos e outros itens de alimentação. Na programação, também foram realizadas apresentações de mágica e distribuição de lanches. Para a superintendente administrativa do HCP, Claudia Barbosa, esse tipo de ação é indispensável. “É incrível a alegria que eles trazem para as crianças, que têm a oportunidade de passar um dia diferente; elas ficam empolgadíssimas, falam sobre isso depois, perguntam quando vai haver de novo”. diadascriancastr.JPG

 

HCP participa de mutirão de reconstrução mamária

cirurgia.jpg

No período de 24 a 29 de outubro, o Hospital de Câncer de Pernambuco participará do II Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária. Na ocasião, 15 pacientes mastectomizadas devido ao câncer de mama passarão pela cirurgia plástica reparadora no HCP e em outros seis hospitais, entre públicos e privados. 

De acordo com o médico Jairo Zacchê, coordenador regional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a reconstrução mamária contribui para a recuperação da autoestima da mulher. “A cirurgia possibilita que o estigma de mutilação seja tirado e isso traz uma série de ganhos para o tratamento”, afirma. “Fizemos uma seleção com as pacientes e definimos o grupo que terá a oportunidade fazer a cirurgia sem custo. As próteses de silicone foram doadas por uma empresa revendedora de implantes mamários”, completa Zacchê.

A ação é uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Fundação IDEAH – Instituto de Ensino e Ação Humanitária da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e será realizada em 20 estados. O I Mutirão Nacional foi realizado em 2012, quando mais de 500 mulheres foram operadas em todo o país.

Câncer de mama pede cuidados constantes

outubro-rosa-hcp-001.jpg

No Brasil e no mundo inteiro, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres. Para 2016, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) estima que aproximadamente 58 mil novos casos da doença serão registrados no país. Esse tipo de câncer é o mais presente nas mulheres das regiões Nordeste, Sul, Sudeste e Centro Oeste, após o câncer de pele não melanoma.

Diante desses dados, percebemos a necessidade constante de informar as mulheres sobre a doença, assim como a importância do diagnóstico precoce e o que pode ser feito para preveni-la. Porém, durante os meses de outubro, é dado um foco maior nessas informações, pois o mundo inteiro se mobiliza para alertar a população sobre o câncer de mama, no chamado Outubro Rosa. Essa mobilização mundial começou na década de 1990, nos Estados Unidos. Em 2008, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) trouxe o movimento para o Brasil.

Esse ano, o Hospital de Câncer de Pernambuco desenvolveu uma campanha que visa despertar a consciência de que o cuidado com o corpo deve ser constante, ou seja, a mulher não precisa esperar apenas o mês de outubro para se cuidar. Manter uma alimentação saudável, não fumar, não ingerir bebida alcoólica e praticar exercícios físicos contribuem para a diminuição dos riscos de desenvolver a doença.

Além dos cuidados citados acima, é fundamental que os exames de prevenção sejam realizados regularmente, pois a detecção precoce do câncer de mama é fator determinante para um bom prognóstico. Quando a doença é descoberta no início, as chances de cura podem chegar até a 95%.

O exame mais importante para o diagnóstico é a mamografia, que pode detectar tumores e nódulos menores que um centímetro. As mulheres com mais de 40 anos devem realizar a mamografia anualmente. Porém, se no intervalo entre os exames a mulher sentir algum caroço nas mamas ou axilas, apresentar descarga papilar (saída de secreção líquida, sanguinolenta ou transparente) ou perceber que algo nas mamas está diferente, deve procurar um médico imediatamente.

As mulheres que estiverem no grupo de fatores de risco precisam informar o médico a fim de ter um acompanhamento direcionado. Os fatores de risco são: histórico familiar de câncer de mama e ovário, ingestão regular de álcool, alteração genética, menarca (primeira menstruação) antes dos 11 anos, menopausa após os 55 anos, obesidade, sedentarismo, exposição frequente a radiações ionizantes (raios-x) e terapias hormonais, entre outros.

Clique aqui e acesse o conteúdo da campanha “Previna-se! O cuidado com o corpo deve ser constante”.

 

Mutirões de Saúde atendem 287 pacientes no final de semana

Fachada.jpg

Duzentos e oitenta e sete. Foi esse o número exato de pacientes atendidos em dois mutirões que aconteceram, num único final de semana, e de forma simultânea, no Hospital da Mulher do Recife, no Curado, e na UPA-E do Arruda.  Enquanto no seu mutirão, o HMR realizou pequenas cirurgias dermatológicas, o mutirão da UPAE do Arruda atendeu pacientes para consultas de Ortopedia.

O secretário de Saúde do Recife, Jaílson Correia, acompanhou a realização destes dois mutirões, ao lado de Filipe Bitu, superintendente executivo da OS Hospital de Câncer de Pernambuco, que administra as duas unidades de saúde, e de Adriana Bezerra, diretora da UPA-E do Arruda. “A lógica dos mutirões é a concentração dos atendimentos para acelerar o diagnóstico e a oferta de tratamento. Focamos, principalmente, nos procedimentos em que a fila de espera é maior”, explica o secretário Jailson Correia.

No Hospital da Mulher do Recife, no Curado, em dois dias, o mutirão atendeu 157 pacientes, que foram submetidos a pequenas cirurgias dermatológicas para retirada de cistos, sinais e lipomas – pequenos tumores benignos.  Cerca de 30 profissionais participaram da ação no HMR, entre assistentes sociais, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. O mutirão transcorreu normalmente e todos os pacientes tiveram alta no mesmo dia.

Já na UPA-E do Arruda, o mutirão foi realizado  em parceria com a SBOT (Sociedade Brasileira de Traumato-Ortopedia). 130 pacientes foram atendidos por 25 ortopedistas de diversas especialidades: joelho, ombro, pé, coluna e mão; além de ortopedista especialista em Pediatria. A equipe foi composta também por técnicos de enfermagem, de radiologia e de imobilização, além de enfermeiros e pessoal administrativo. “São procedimentos simples, mas se não tivessem sido resolvidos agora, no futuro, esses pacientes poderiam sofrer problemas mais sérios”, lembra o superintendente executivo do HCP, Filipe Bitu.

 “O paciente já sai daqui com toda a linha de cuidados garantida”, esclarece Adriana Bezerra, diretora da UPA-E do Arruda. Foi o que aconteceu, por exemplo, com a costureira Maria de Fátima da Silva, moradora de Nova Descoberta, que sofre com artrose no joelho. “Sinto muitas dores e inchaço. Estava à espera de uma consulta há vários meses. Hoje, fui muito bem atendida e já saio daqui com encaminhamento para fisioterapia”, afirmou.

A UPA-E do Arruda e o Hospital da Mulher do Recife estão sob gestão do Hospital de Câncer de Pernambuco. A UPA-E foi construída pelo Governo do Estado e repassada para administração do Recife. O HMR é uma unidade da Prefeitura do Recife. 

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redes Sociais