Tese de doutorado estuda sistema imunológico de pacientes com câncer de mama agressivo

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

Defesa dr. Marcelo Salgado.jpeg

Mais uma pesquisa que consolida o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) como instituição de referência em Ensino e Pesquisa foi realizada por meio do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Oncologia da instituição em parceria com o A.C. Camargo Cancer Center. No último mês, o oncologista clínico Marcelo Salgado defendeu sua tese de doutorado, por meio da qual foram investigadas as alterações no sistema imunológico de pacientes com câncer de mama. "O sistema imunológico é um dos responsáveis por nos proteger contra o câncer, então eu precisava entender o porquê e onde ele estava falhando nessas pacientes", pontuou o médico.

Tumor maligno mais comum entre as mulheres em todo o mundo – de acordo com o Instituo Nacional de Câncer (INCA) –, o câncer de mama pode se apresentar nos estágios de 1 a 4, sendo o primeiro, o nível inicial da doença, com maiores chances de cura, e o último, o mais grave, quando o câncer já atingiu a metástase. Além dos estágios, há diferentes tipos de tumor da mama. O mais agressivo deles, o triplo negativo, representa 20% de todos os casos da doença e foi escolhido como alvo de estudo da tese. Como explicou o oncologista clínico, "Nós temos quatro tipos de diferentes de câncer de mama, o triplo negativo é o mais agressivo e normalmente ocorre em mulheres mais jovens e com piores resultados, com menores chances de cura. No estágio 1A Luminal A, por exemplo, a chance de cura da paciente é de 99%. Porém, nesse mesmo estágio, quando o câncer é do tipo triplo negativo, esse número cai para 84%".

Durante os 4 anos de estudo, o sistema imunológico de 30 pacientes do HCP com câncer de mama triplo negativo no estágio 3 foi analisado antes e depois do tratamento, com objetivo de identificar as possíveis mudanças e se essas mudanças provocavam alguma diminuição ou aumento nas chance de cura da doença. Os resultados da pesquisa, aponta o médico, confirmam a hipótese inicial: "A gente conseguiu identificar duas alterações no sistema imunológico. As pacientes que possuíam essas alterações, tinha um resultado pior no tratamento, as que não possuíam, conseguiam viver mais", destacou. 

A pesquisa é a primeira do Nordeste a estudar o sistema imunológico de pessoas com diagnóstico de câncer de mama triplo negativo, o que resulta em grandes contribuições ao estudo deste tipo de câncer em todo o Brasil, e, consequentemente, em melhorias para os pacientes oncológicos. No HCP, instituição que é referência no tratamento do câncer em Pernambuco, no ano de 2016, 947 mulheres foram diagnosticadas com câncer de mama. Os dados são do Núcleo de Registro Hospitalar de Câncer da instituição. 

*Marcelo Salgado possui residência em oncologia clínica pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) e é membro da Sociedade Americana de Oncologia Clínica e da Sociedade Europeia de Oncologia Clínica. Integra também a Associação Americana para Pesquisa Clínica e é doutor em oncologia pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu do Hospital de Câncer de Pernambuco com o A.C. Camargo Cancer Center. 

 

 

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redes Sociais