Onde há sol,
deve haver proteção.
Previna-se do câncer de pele.
 
Não importa se é na praia, no campo ou na cidade,
onde quer que você esteja, proteja-se!
Exposição excessiva ao sol é a principal causa do câncer de pele.
 

O que é
câncer de pele

Maior órgão do corpo humano, a pele tem a função de revestir e proteger o organismo de agressões, como desidratação, vírus, bactérias e danos causados por fatores ambientais.

O câncer de pele surge quando as células que compõem o órgão crescem desordenadamente, isso acontece principalmente devido ao efeito cumulativo causado por longas exposições ao sol, quando os raios solares Ultravioleta A e Ultravioleta B danificam a barreira protetora do órgão.

A doença pode ser dividida em dois tipos:

• Não melanoma:
mais frequente no mundo, correspondendo a cerca de 97% dos casos. É o tipo menos agressivo, com altas chances de cura quando descoberto no início.

• Melanoma:
um dos mais agressivos de todos os tumores malignos. Costuma disseminar rapidamente para outros órgãos e possui histórico familiar como grande fator de risco.

No Brasil, país tropical, o sol está presente praticamente o ano inteiro e em todos os lugares. Aproximadamente 30% dos tipos de cânceres registrados no país são câncer de pele. Um número alto, que aponta para a necessidade de proteção.


  • Protetor Solar

    Utilize protetor solar todos os dias, reaplicando a cada duas horas. Se você tem pele clara, use fator 30. Se você é negro, use fator de no mínimo 15.


  • Vai pegar uma praia?

    Evite expor-se ao sol no horário entre 10h e 16h e utilize protetor solar e camisa de proteção UV.


  • Trabalha exposto ao sol?

    Tenha a proteção da sua pele como melhor amiga.


  • Chapéu é um grande aliado na proteção.

    Mas, atenção! Utilize aba de pelo menos 7cm e capriche no protetor solar.


  • Alimente-se bem!

    Frutas, verduras e legumes têm nutrientes que ajudam a diminuir os danos do sol na pele.


  • Hidrate-se!

    Beba bastante água!

DIAGNÓSTICO PRECOCE

Seu corpo dá sinais.
Por isso, fique atento e vá ao dermatologista regularmente.

Ele é o profissional que irá reconhecer sinais suspeitos e adotar a conduta ideal para o cuidado com sua pele.

O câncer de pele tem cura quando é diagnosticado no início.

 

Quais os sinais de alerta?

CÂNCER DE PELE NÃO MELANOMA
Feridas que sangram e não cicatrizam localizadas principalmente em pele exposta ao sol, cicatrizes antigas e úlceras crônicas

CÂNCER DE PELE MELANOMA
Sinais antigos, normalmente localizados no tronco, em homens, e na perna, em mulheres, com as seguintes características:


A
Assimetria


B
Borda irregular


C
Cores (vermelho, preto e marrom).


D
Diâmetro maior que 6mm


E
Evolução

 

Quem tem mais chance de desenvolver a doença?

  • Pessoas de pele, olhos e cabelos claros.
  • Profissionais que atuam em contato com agrotóxico.
  • Pessoas com histórico familiar de câncer de pele.
  • Pessoas que sofreram queimadura do sol na infância.
  • Pessoas com histórico de doenças de pele.
  • Ruivos.
  • Idosos.
 



Curiosidades

Preciso usar protetor solar mesmo estando na sombra?
Sim! Mesmo na sombra, nosso corpo recebe o efeito dos raios solares UVA e UVB. Por isso, é imprescindível utilizar protetor solar todos os dias, independente do clima.

O câncer de pele é contagioso?
Não! O câncer surge quando as células do corpo se multiplicam desordenadamente, portanto, nenhum tipo de câncer pode ser transmitido de uma pessoa para a outra.

Só preciso aplicar o protetor solar quando estiver na praia?
Não! O uso do filtro solar é imprescindível em qualquer lugar. Quando estiver na praia ou em outro local de longa exposição, proteja-se ainda mais, reaplicando a cada duas horas. Se você tem pele clara, use fator 30. Se você é negro, use fator de no mínimo 15.

Tenho histórico de câncer melanoma na família, o que devo fazer?
Histórico familiar de câncer de pele melanoma é um grande fator de risco para a doença, por isso, vá ao dermatologista regularmente, fique atento aos sinais da sua pele e evite, ao máximo, se expor ao sol. Para você, atenção e cuidado redobrado!

O câncer não melanoma pode evoluir para o melanoma?
Não! São dois tipos diferentes. O não melanoma é mais comum e menos grave, curável com tratamento cirúrgico. Já o melanoma é um dos tipos de câncer mais agressivos, tem forte fator de histórico familiar e se dissemina rapidamente para outros órgãos.

 

O HCP é referência em câncer de pele

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) oferece diagnóstico e tratamento integral e humanizado para mais de 50% dos pacientes oncológicos de Pernambuco. Referência no tratamento de vários tipos de câncer, apenas em 2017, foram diagnosticados na instituição 1570 casos de câncer de pele, segundo o Registro Hospitalar de Câncer.

No Dezembro Laranja, e também no ano inteiro, o HCP reforça seu compromisso com o cuidado, orientando a população a respeito da importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença, que aumenta as chances de cura.

Para ser atendido no HCP, o paciente com lesões suspeitas precisa ter o diagnóstico de câncer de pele já estabelecido por exames ou o encaminhamento por escrito justificando a alta probabilidade ou suspeita da doença. É por isso que é de extrema importância procurar uma unidade básica de saúde ou um dermatologista ao identificar lesões suspeitas na pele.




 

Baixe nosso conteúdo

O HCP apoia a campanha de prevenção ao câncer de pele neste Dezembro Laranja. Seja você também um agente multiplicador e compartilhe nosso material informativo em favor desta causa. Faça parte deste movimento, leve informação à sua empresa, amigos e familiares.

Todo conteúdo apresentado neste site é de propriedade do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP). Este material pode ser copiado, reproduzido, distribuído, republicado, apresentado, anunciado ou transmitido, desde que seja citada a fonte Hospital de Câncer de Pernambuco.

Toda e qualquer alteração deste conteúdo deve ter a prévia autorização do HCP, que pode ser solicitada pelo e-mail: comunica@hcp.org.br



Flyer A5

Cartaz A4

Avatar

Spot de Rádio




Vídeo




Compartilhe

 
  • 81 3217.8000
  • hcp@hcp.org.br